A Anacom vai alargar o espectro disponível para estações de pequena potência e de curto alcance que permitem, entre outras, aplicações para Internet das coisas (IoT) e Machine-to-Machine (M2M), aplicações para transmissão de dados em banda larga (Wi-Fi) assim como para Radio Frequency Identification (RFID).

Em comunicado, o regulador explica que tem vindo a receber solicitações de fabricantes e da indústria em geral para aumentar o espectro disponível nas faixas de frequência de 870-876 MHz e 915-921 MHz, com as empresas alegarem que o espectro disponível não lhe permitia implementarem as suas redes. 

Mapa da GSMA mostra implementação de redes mobile IoT. E há uma em Portugal
Mapa da GSMA mostra implementação de redes mobile IoT. E há uma em Portugal
Ver artigo

“Neste contexto, e de modo a fomentar a introdução de soluções de RFID tecnicamente avançadas e de novos equipamentos de curto alcance, que permitam novos tipos de aplicações M2M e IoT, a ANACOM entendeu ser adequado rever as condições de utilização do espectro”, acrescenta a nota de imprensa. 

Estes dispositivos de curto alcance estão isentos de licenciamento radioelétrico, utilizando o espectro numa base de não exclusividade e de partilha. Nestas faixas de frequência funcionam equipamentos como contadores inteligentes ou centrais de alarme, entre outros.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.