A maior análise que se faz à população portuguesa e à sua distribuição apenas acontece de dez em dez anos: os censos demográficos. O próximo levantamento está programado para 2021. Mas o problema é que em dez anos existem muitas alterações e as mesmas não são acompanhadas.



Um grupo de investigadores parece ter contornado a situação através da análise de dados anónimos relacionados com a atividade telefónica das populações. Os resultados de um estudo baseado neste método foram publicados recentemente na publicação Proceedings of the National Academy of Sciences.



Os dados usados diziam respeito aos anos de 2007 e 2008. A informação agregada foi depois cruzada com os dados dos Censos 2011 o que ajudou a comprovar a eficácia do método.



“Em Portugal, tivemos acesso aos dados de dois milhões de utilizadores”, revelou ao Público uma das investigadores que está a trabalhar no novo método de análise. Catherine Linard, explica que em Portugal tinham “acesso a uma base de dados de chamadas e os dados do censo português são suficientemente precisos”.



“Os registos anónimos das chamadas móveis podem ser examinados regularmente para mapear alterações diárias, semanais ou mensais à escala de todo um país, a menor custo e com maior flexibilidade”, explica outro investigador, Andrew Tatem, a propósito das vantagens do método proposto.



É, por exemplo, possível perceber que em períodos associados a férias, como julho e agosto, as grandes cidades perdem população para outras localizações, como as regiões algarvias, enquanto ao fim de semana é possível assistir a uma “migração” considerável de utilizadores que trocam o litoral pelo interior.



Mas Portugal acaba por não ser um dos países que mais pode beneficiar com esta técnica de análise. Nações onde não existem censos ou um levantamento exaustivo da distribuição populacional, como acontece em várias localizações africanas, pode tirar grande valor destes métodos.



E mesmo em países em vias de desenvolvimento o telemóvel é o meio de comunicação com maior taxa de penetração. Gestão em situações de catástrofe natural ou melhor controlo de surtos e epidemias são algumas das situações que podiam ser melhor controladas através dos dados da distribuição por “telefonia”.



Outro método que tem surgido para o controlo da demografia é a análise por satélite. Apesar de reconhecerem as vantagens deste método, os investigadores consideram que a sua técnica também pode ser cruzada com a informação dos satélites para criar informação com ainda mais valor.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.