A Comissão Europeia aprovou fundos públicos na área da banda larga no valor de 1,8 mil milhões de euros durante 2010. Os valores são fornecidos pelo próprio Executivo europeu que diz ter registado um número recorde de pedidos, por parte dos Estados-membros, para o desenvolvimento da tecnologia.

Em 2010 Bruxelas aprovou 20 decisões nesta área, facilitando o acesso de países como a Finlândia, a França e a República Checa, aos fundos disponibilizados para a disseminação da banda larga. Portugal não consta da lista do ano passado de "contemplados".

Nas contas da CE, o montante cedido poderá gerar, potencialmente, até 3,5 mil milhões de euros em investimentos no sector.

"O investimento em infra-estruturas de banda larga de alta e muito alta velocidade são cruciais para criar emprego, aumentar o desempenho da economia e desbloquear o potencial competitivo da União Europeia a longo prazo. A Comissão está por isso comprometida em ajudar os Estados-membros a acelerar o investimento público e privado nesta área", refere Joaquín Almunia, comissário europeu da Concorrência.

As ajudas aprovadas em 2010 superam em mais de quatro vezes o montante registado em 2009, quando os incentivos para a disseminação da banda larga se saldaram em 406 milhões de euros. No quadro apresentado pela CE, o segundo valor mais alto dos últimos anos observa-se em 2006 (576 milhões de euros).

A Comissão refere ainda que os fundos públicos cedidos por si se destinam, principalmente, a assegurar o acesso à Internet de banda larga em regiões rurais ou remotas. "A nossa abordagem garante que as redes de banda larga são construídas em áreas onde antes não existiam outros serviços e que estão disponíveis para os fornecedores de acesso à Internet em termos não-discriminatórios".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.