O Centro de Negócios Digitais (CDA), da Universidade de Umeå, na Suécia, está actualmente a apresentar um novo projecto de investigação na conferência Mobile HCI 2002, em Pisa, na Itália, relacionado com o protótipo de uma plataforma móvel para distribuir música em redes sem fios.


Conhecido por FolkMusic, este projecto foi dirigido por Mikael Wiberg, investigador e director de programa do projecto Laboratório Móvel de Teoria da Interacção/A>. Esta iniciativa baseia-se na tecnologia Peer-to-Peer (P2P), que estava na base do serviço Napster e que tornou possível que as pessoas pudessem consultar as faixas que os outros utilizadores estavam a ouvir.


Contudo, o FolkMusic destina-se a resolver dois problemas que persistem em relação a esta tecnologia. Em primeiro lugar, o facto de os utilizadores permanecerem geograficamente isolados, não ouvindo por isso as músicas em conjunto. Depois, apesar de a tecnologia P2P tornar teoricamente possível aceder a toda a música disponível no mundo, o problema é descobrir novas obras, pois nesses sistemas os utilizadores necessitam de procurar por um artista ou música específica.


No sistema protótipo FolkMusic desenvolvido, os ouvintes podem andar pelas ruas e consultar o que os outros estão a ouvir, mediante o recurso à tecnologia P2P, o que possibilita ouvir faixas em formato MP3 através de outras unidades móveis na proximidade imediata, num raio de algumas centenas de metros.


O sistema possibilita ainda pesquisar pelas músicas que são mais difundidas, o que poderá representar uma alternativa as listas actuais do top ten. A plataforma também suporta a pesquisa de músicas num determinado género musical.


Notícias Relacionadas:
2002-09-16 - Empresa francesa pretende fazer com que os telemóveis funcionem em redes P2P
2002-07-05 - Mitshubishi desenvolve tecnologia de comunicações móveis de redes Peer-to-Peer

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.