A Cisco Systems e a Philips, em parceria com a Emerging, apresentaram o primeiro piloto europeu de um sistema de monitorização de pacientes que permite acompanhar doentes à distância com apoio do telemóvel.

O sistema funciona em coordenação com o alarme activado pelo sistema de monitorização de doentes cardíacos, sempre que é detectada uma alteração de valores, e permite que uma enfermeira visualize no equipamento móvel o registo de valores que fez soar o alarme.

No equipamento móvel é recebida a imagem em exibição no momento em que disparou o alarme, o que permite eliminar falsos alertas ou avançar com uma acção mais rápida (cerca de 3 segundos) numa situação de emergência.

O piloto foi apresentado no âmbito do World Health Care IT, que decorre em Genebra. O evento, que se realiza pela primeira vez fora dos Estados Unidos, discute os avanços e problemas na área da eHealth que fazem diferentes países caminharem a diferentes ritmos.

A manutenção de baixos níveis de investimento nos cuidados de saúde, a continuidade de investimentos descoordenados, más opções estratégicas e falta de resultados práticos estão entre os principais constrangimentos para o desenvolvimento de sistemas de saúde mais integrados e mais eficazes, sublinhou ao TeK Kevin Dean, managing director do grupo de Internet Business Solutions para os cuidados de saúde no sector público, da Cisco Systems.

Um estudo da HINE – Health Information Network Europe, também divulgado durante o encontro, mostra que os hospitais europeus encaram com naturalidade, e na sua maioria utilizam, tecnologia para questões simples como a integração dos números de pacientes (uma prática de 87,34 por cento das mais 5 mil instituições inquiridas em 15 países), mas são menos adeptas dos mesmos métodos aplicados a tarefas como encomendas ou prescrição electrónica de medicamentos (18,7 e 2,13 por cento respectivamente).

O mesmo documento mostra que as aplicações para tratamento de questões administrativas dos doentes são usadas na quase totalidade dos hospitais europeus (98,8 por cento), assim como as soluções departamentais e as que permitem codificar informação para relatório são também muito usadas, mas aplicações mais avançadas que requerem níveis mais exigentes de investimento.

Quase 30 por cento dos hospitais investem menos de 1,5 por cento em Tecnologias da Informação, sublinha o documento.

O piloto apresentado pela Cisco e pela Philips tem por base a solução Philips Waveform Paging, lançada pela empresa no ano passado nos Estados Unidos e que já conquistou nove clientes. A Cisco garante os equipamentos com o Cisco Unified Wireless IP Phone 720 e o sistema de gestão das comunicações (Cisco Call Manager) e a Emergin o gateway de monitorização dos pacientes. O hospital universitário de Ghent na Bélgica tem cerca de mil camas e pretende estender a solução a outras áreas de actividade da instituição. A localização de pacientes e equipamentos, bem como o controlo de acessos são áreas prioritárias.

Notícias Relacionadas:
2006-06-06 - Task Force europeia para as TIC apresenta propostas até final do ano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.