O Executivo comunitário está a ultimar uma directiva de protecção ambiental que fixa a eficiência energética dos equipamentos electrónicos, o que pode significar o fim da comercialização das televisões de ecrã plasma na União Europeia.

Nas contas da UE, um televisor de plasma consome mais do dobro de energia que os restantes modelos.

A legislação, que deverá estar aprovada na Primavera, pretende estabelecer padrões mínimos para televisores e impedir que aparelhos que consumam muita energia ou emitam quantidades elevadas de gás carbónico sejam comercializados no espaço europeu, refere a Lusa, citando o jornal inglês The Telegraph.

A proposta de legislação prevê, também, que os televisores mais eficientes passem a ser rotulados com um novo sistema de identificação energética, de modo a permitir que os consumidores identifiquem os modelos mais eficientes.

Além dos consumos máximos dos televisores, a futura directiva também estabelece os limites que os equipamentos em standby podem gastar.

Nota de Redacção [15 de Janeiro de 2008]: Face às notícias veiculadas, a EICTA veio esclarecer, posteriormente, que os televisores plasma não irão deixar de ser comercializados na União Europeia com a legislação que está a ser preparada. A directiva irá impor níveis máximos de consumo energético, que poderá ou não afectar os modelos plasma que não estejam dentro dos parâmetros, refere a associação, acrescentando que as fabricantes terão sempre a opção de adaptar a tecnologia plasma aos consumos impostos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.