Os conteúdos vídeo, em streaming, são os principais responsáveis pelo tráfego de dados gerado a partir de smartphones, afirma um estudo divulgado ontem, em que o YouTube é identificado como o site mais popular entre os utilizadores deste tipo de plataformas.

Os números fazem parte do relatório da empresa de redes Allot Communications, que publicou uma análise levada a cabo durante a última metade de 2010, entre 210 milhões de subscritores de serviços de Internet no telemóvel, em todo o mundo.

O relatório mostra que os conteúdos vídeo continuam a dominar, gerando 37 por cento do tráfego de dados nas redes móveis. Dessa percentagem, 45 por cento devem-se ao YouTube. O serviço da Google é mesmo responsável por 17 por cento do tráfego total.

Já os ficheiros partilhados online representaram 30 por cento do tráfego de Internet nas redes móveis, o que, segundo a empresa, representa um indicador de que os utilizadores vêem cada vez mais o acesso à Internet em dispositivos móveis como um substituto das ligações fixas.

Os serviços de voz sobre IP (VoIP), aos quais fabricantes como a Apple ofereceram alguma resistência numa fase inicial, e de troca de mensagens instantâneas não contam ainda com uma fatia superior a 4 por cento - apesar de apresentarem um ritmo de crescimento na ordem dos 87 por cento.

Por falar em crescimentos acelerados, merece também referência o caso dos acessos às redes sociais, com o Twitter e o Facebook a apresentarem aumentos de 378 e 267 por cento, respectivamente.

Impressionante é também o aumento do tráfego associado ao Android Market, que cresceu 177 por cento. Embora não vá ainda além de uma quota de 9 por cento na contagem referente (apenas) às lojas de aplicações, onde a App Store detem 89 por cento, fica bem à frente da gigante da maçã em termos de crescimento, uma vez que esta se fica pelos 54 por cento.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.