Para protestarem contra a falta de acesso a Internet de banda larga, os habitantes de Castanheira do Vouga, no concelho de Águeda, boicotaram as eleições para o Parlamento Europeu. A porta do local onde estava instalada a mesa de voto esteve fechada até às 11 horas e, até ao início da tarde, ninguém tinha votado.

Numa nota enviada à Agência Lusa, a Direcção Geral da Administração Interna (DGAI) informa que este boicote foi "decisão pessoal e ilegal do presidente da Junta de Freguesia".

Em declarações registadas por vários órgãos de comunicação social, Vítor Silva, presidente da Junta de Castanheira do Vouga admitiu que esta é uma forma de protesto pelo facto da freguesia não ter ligação de banda larga. “Hoje não vai abrir a mesa de voto, o presidente da mesa não tem forma de aceder ao espaço, que está barrado por gente da freguesia", descreveu antes da situação ser normalizada às 11 horas da manhã. A freguesia conta com pouco mais de 600 eleitores

Este foi o único boicote às eleições registado em todo o país. Segundo dados divulgados pela Direcção Geral da Administração Interna (DGAI) a afluência às urnas era de 11,8 por cento ao meio dia, um valor inferior ao registado em 2004, também para eleições europeias, quando 14,2 por cento dos eleitores já tinham votado. É de notar porém que, desde essa data, foram acrescentados mais de 900 mil eleitores aos cadernos eleitorais, totalizando 9.667.024 eleitores recenseados.

Os portugueses votam para eleger 22 deputados, menos dois que nas anteriores eleições realizadas em 2004.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.