O projecto destinado a reduzir o número de instituições que podem fazer escutas está concluído e o debate sobre a matéria "terá início muito brevemente", segundo referiu Paula Teixeira da Cruz.

A responsável que falou aos jornalistas no final do segundo encontro da rede nacional de procuradores contra a corrupção entende que esta possibilidade deve ser limitada "a um conjunto muito restrito de instituições".

Segundo a ministra, citada pela Lusa, "não faz nenhum sentido" que qualquer cidadão possa "ser escutado por 19 instituições, incluindo, por exemplo, a ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica".

O projeto que prevê a redução acentuada das entidades em Portugal com poderes para escutar os cidadãos será colocado muito em breve a debate público, garantiu Paula Teixeira da Cruz.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.