A abertura formal do Golabs.IoT aconteceu esta quarta-feira, mas desde há, pelo menos, três meses que o processo de constituição daquele que pretende ser um” laboratório diferente dos outros laboratórios” estava em curso.

A ideia da Altice Portugal, que avançou com a assinatura de um acordo com a Huawei em março de 2017, no Mobile World Congress, é criar um “verdadeiro ecossistema” mencionou Alexandre Fonseca, CEO da operadora em Portugal, na apresentação, destacando o papel que a Internet das Coisas já tem e terá nos próximos anos: "hoje são 8,4 mil milhões de dispositivos ligados, em 2021 vão ser 25 mil milhões".

E se atualmente o IoT está tudo muito focado no mercado de consumo, em dois ou três anos mais de 65% do tecido empresarial em todo o mundo vai estar a utilizar uma ou mais soluções com a tecnologia. "E este é para nós um motivo de desafio e o motivo porque estamos a investir num laboratório e nesta tecnologia".

No novo laboratório junta-se a IoT "com a Inteligência Artificial, com a cloud, com os data centers, com o big data e analytics. Este é o ecossistema que queremos criar com os nossos parceiros, para sermos capazes de influenciar a transformação digital da sociedade".

O conceito do Golabs.IoT assenta por isso, "muito resumidamente" na criação de uma comunidade de developers, academia, universidades, startups, "com todo este ecossistema a trabalhar de forma sinérgica, para pegar em ideias e transformar ideias em protótipos laboratoriais e depois transformar esses protótipos laboratoriais em produtos e em serviços que façam a diferença na vida das pessoas".

Ao juntar parceiros, inovadores, talentos diferenciados, de várias áreas, Chris Lu, CEO da Huawei em Portugal, diz que acredita que o Golabs.IoT é uma plataforma que pode originar “excelentes ideias”, elevando a IoT “a todo um outro nível, capaz de melhorar o dia a dia dos consumidores, mas também das empresas, aumentando a produtividade e eficiência de todos os tipos de indústrias”.

Um laboratório diferente

O objetivo "é transformar este tipo de contexto e de ambiente num laboratório diferente”, referiu Luís Alveirinho à margem da conferência, em declarações ao SAPO TEK. “Já temos outros laboratórios para testar soluções nossas. O que queremos criar com o Golabs.IoT é completamente diferente: abrir o contexto laboratorial de ensaio e teste com a rede, abri-lo a um conjunto de parceiros e a toda a indústria para que, não só nós, mas eles próprios, possam testar as suas soluções”.

O laboratório funciona sob dois cenários diferentes, sendo que o preferencial é ter parceiros com soluções que possam ter trabalhadas com a Altice, para uma lógica de go to market conjunto, explicou Luís  Alveirinho.

Por outro lado, também há a possibilidade “de alguém querer única e exclusivamente chegar e testar uma solução ou testar um equipamento para ver se há problemas de interoperabilidade com uma rede pública”, indica o CTO. “Qualquer destes dois contextos vai ser possível”.

Neste momento os empreendedores e empresas que quiserem apresentar as suas ideias à equipa do Golabs.IoT têm o endereço de email golabs.iot@telecom.pt à disposição, mas está em preparação um site que vai facilitar o contacto.

O Golabs.IoT  é “claramente” um investimento significativo para a Altice Labs. “Este laboratório está no topo das nossas prioridades, alinhado com os nossos objetivos estratégicos de investimento em redes e serviços, desenvolvimento de talento e soluções e a criação emprego”, rematou o responsável.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.