Só nos primeiros 2 segundos mais de 2.000 municípios inscreveram-se no portal para a  terceira fase do programa WiFI4EU, que vai subsidiar a instalação de redes Wi-Fi gratuitas em milhares de cidades europeias. Até ao encerramento das inscrições mais de 11 mil municípios tinham registado interesse, um número mais de seis vezes superior ao dos vales de financiamento disponíveis, que nesta fase é de 1.780.

Já nas fases anteriores de candidatura o volume de inscrições foi elevado. Na primeira fase mais de 10 mil municípios registaram o interesse, mas as regras estão bem claras e os vales são entregues aos que primeiro fizerem a candidatura no portal, sendo que para assegurar a diversidade geográfica, cada país tem garantido um mínimo de 15 vales e pode potencialmente ganhar um máximo de 142 vales de financiamento.

WiFi4EU: a Internet deve ser para todos e o Wi-Fi gratuito na Europa vai avançar até 2020
WiFi4EU: a Internet deve ser para todos e o Wi-Fi gratuito na Europa vai avançar até 2020
Ver artigo

Cada vale tem um valor fixo de 15 mil euros e até agora foram escolhidas 6.200 municípios que vão receber este apoio. Juntar-se-ão agora mais 1.780 freguesias e está ainda prevista uma nova fase de candidaturas no próximo ano.

Depois das candidaturas cabe à Agência Executiva de Inovação e Redes (INEA), agência executiva da Comissão encarregada de implementar o programa WiFi4EU, fazer as verificações necessárias da elegibilidade dos municípios.

O objetivo é garantir a cobertura de rede wireless em parques, praças, hospitais, centros de saúde, edifícios públicos, museus e bibliotecas, mas também estações de comboios e autocarros. No WiFI4EU está garantido o acesso gratuito a residentes e não residentes, com um processo de autenticação simples, sem publicidade e com proteção dos dados pessoais.

Este mapa mostra onde ficam os municípios que vão ter internet gratuita com WiFi4EU
Este mapa mostra onde ficam os municípios que vão ter internet gratuita com WiFi4EU
Ver artigo

O programa europeu teve como relator o eurodeputado português Carlos Zorrinho e reservou 120 milhões de euros para financiar o fornecimento de acesso à internet gratuito aos europeus, e a criação de uma plataforma que faça a gestão da identidade dos utilizadores nas várias redes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.