Para promover um maior equilíbrio social, a Fundação Portugal Telecom desenvolveu as Soluções Especiais, medidas adaptadas às necessidades dos cidadãos com deficiências e que possibilitam o acesso à atividade escolar, profissional e social deste segmento da população.

Agora, com a celebração de um protocolo que envolve a Fundação e a Direção-Geral da Educação (DGE), essas Soluções da Altice Portugal estarão acessíveis aos alunos portugueses com necessidades educativas especiais, com o objetivo de garantir uma total igualdade de oportunidades no acesso à educação e promovendo uma educação mais inclusiva.

Alexandre Fonseca, presidente do Conselho de Administração da Fundação PT, destacou o papel que a educação tem num Estado de Direito, caracterizando-a como um dos vectores que, alicerçado na igualdade, é responsável pelo desenvolvimento social e económico de uma sociedade.

No entanto, realçou que, apesar do trabalho meritório que Portugal tem realizado na digitalização da sociedade, ainda há um longo caminho a percorrer num país “onde 26% da população não tem acesso à internet”, defendendo que “é através da educação e da  formação” que se alcançará um “futuro melhor e mais sustentável”.

José Vítor Pedroso, diretor-geral da DGE, referiu a importância de haver uma “escola cada vez mais inclusiva para que todos os alunos tenham as mesmas oportunidades de sucesso no seu percurso académico e na vida” e Humberto Santos, do Instituto Nacional de Reabilitação, concordou que “é nos bancos da escola que começa o processo sistemático de aprendizagem que nos leva a esse caminho”.

Também no âmbito deste protocolo, os 25  Centros de Recursos TIC para a Educação receberam computadores portáteis e licenças PT Grid 3 (solução de comunicação aumentada), tendo ainda havido lugar à entrega de um equipamento a Anais Morais, uma jovem aluna de 21 anos com deficiência.

 

Entre as várias Soluções Especiais, a Altice Portugal destaca algumas, como o programa Aladim, uma oferta promocional nos principais serviços da Altice Portugal para utilizadores com deficiência ou incapacidade, e cuja reformulação foi considerada muito importante por Ana Sofia Antunes, secretária de Estado para a Inclusão de Pessoas com Deficiência, uma vez que “para muitas pessoas esses são os únicos meios de ligação ao mundo”.

O programa Atendimento Presencial a Surdos, que garante a presença de um profissional dedicado ao atendimento de surdos nas lojas MEO nas 20 capitais de distrito e o programa de cidadania digital sobre navegação segura, Comunicar em Segurança, que mobiliza mais de 700 voluntários em cerca de 3 mil escolas são apontados como projetos bandeira pela presidente da Fundação PT, Graça Rebocho.

A comunicação deve ser para todos. E a Fundação PT quer dar uma ajuda
A comunicação deve ser para todos. E a Fundação PT quer dar uma ajuda
Ver artigo

No segmento educativo, são distinguidas a plataforma interativa de educação disponível em Portugal, Khan Academy e a Teleaula, um sistema educativo desenhado para os alunos impedidos de frequentar presencialmente a escola, por doença ou convalescença prolongada e que, devido às suas últimas atualizações, lhes permite gravar as aulas e ter mais do que um aluno a assistir à mesma aula.

Por fim, também foi destacado o papel da Academia LGP na inclusão de pessoas com necessidades “adicionais” e que disponibiliza à comunidade surda centenas de conteúdos escolares em vídeo, em formato bilingue (português e Língua Gestual Portuguesa).