Os desenvolvimentos que se têm vindo a verificar com a tecnologia Wi-Fi antevêem o surgimento de novos serviços e produtos, nomeadamente na área da telefonia, que contribuirão para a redução do preço das chamadas, e consequentemente para a queda das receitas de telecomunicações tradicionais. Apesar das operadoras continuarem a defender que os dois tipos de serviços são complementares, as experiências que se estão a preparar nos Estados Unidos são já apontadas por alguns analistas como uma ameaça às telecomunicações tradicionais.



Os especialistas salientam que apesar dos hábitos de utilização de determinadas redes, é natural que com o acesso a uma tecnologia de utilização de baixo custo, quando as pessoas que tiverem telefones Wi-Fi estiverem numa zona com cobertura tenham muito pouca vontade de gastar uma quantia extra em chamadas através das redes celulares, indica uma peça da Associated Press.



Segundo as previsões, a telefonia Wi-Fi não será para já grande geradora de receita para o mercado das telecomunicações. A ABI Research estima que o mercado da voz Wi-Fi em 2009 valha nos EUA apenas 20 milhões de dólares, quando comparativamente as cinco maiores operadoras de telecomunicações norte-americanas geraram 188 mil milhões de dólares de receita e 18,7 mil milhões de dólares de lucro em 2003.



O seu sucesso dependerá principalmente, segundo a Wireless Data Research Group, do nível de adopção registado entre o sector empresarial. A consultora garante à AP que os negócios que já o fizeram - nem que apenas ao nível das chamadas internas - viram as suas despesas reduzidas e as funcionalidades disponíveis aumentadas.


Até há pouco tempo, os telefones Wi-Fi estavam limitados a empresas e universidades que montavam a sua rede Wi-Fi num prédio ou campus. Actualmente, no lugar dos hot spots fala-se agora de "hot zones", com áreas de maior dimensão que alargaram o mercado para o serviço telefónico através de Wi-Fi. "O potencial é enorme como alternativa à telefonia convencional", indica John Jackson, analista do The Yankee Group, citado pela AP.



Actualmente existem nos Estados Unidos 18 mil hot spots Wi-Fi, quando a tecnologia já é usada em centenas de milhares de lares. "As hot zones estão a proliferar" afirmou Robert Schwartz, vice-presidente executivo da IDT que está actualmente a testar um serviço de telefonia Wi-Fi na zona de Newark que transformará PDAs PocketPC da Microsoft em telefones Wi-Fi.



Existem outras empresas nos Estados Unidos que preparam a oferta de produtos e serviços relacionados com a telefonia Wi-Fi para breve, entre elas a Motorola, que na segunda metade deste ano disponibilizará um terminal capaz de comutar instantaneamente das redes celulares para redes Wi-Fi sempre que estas estiverem disponíveis.



Notícias Relacionadas:

2004-04-07 - Tecnologias Wi-Fi e 3G vistas como complementares na oferta de serviços WLAN

2004-03-02 - Operadoras móveis planeiam norma e marca Wi-Fi comum no Canadá

2004-01-22 - Banda larga wireless pode trazer mais 5 mil milhões de utilizadores para a Internet

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.