Tal como já tinha sido amplamente antecipado, hoje é o dia do lançamento do Windows Phone, a nova marca que unifica a estratégia da Microsoft no mundo móvel onde enfrenta concorrentes de peso como a Nokia, a Apple a a Google. As novidades já tinham sido divulgadas pouco a pouco nas últimas semana e por isso acabaram por esvaziar um pouco o evento de hoje, que em Portugal se realizou em conjunto com a TMN, a operadora escolhida para uma parceria única, mas não exclusiva.

Dentro do Windows Phone cabe uma estratégia de conquista do mundo móvel em três actos: um novo sistema operativo mais robusto, potente e fácil de utilizar, o Windows Mobile 6.5; o lançamento da loja de aplicações Windows Marketplace for Mobile; e ainda um pacote de aplicações "made in Portugal", o My Phone, que já tinha sido antecipado em Fevereiro no GSM World.

"A nossa visão á baseada nos três ecrãs [PC, televisor e telemóvel] e uma cloud [nuvem], que permite aos utilizadores a ligação a todos os conteúdos e serviços. E queremos que o Windows seja a referência", sublinhou Jacques Etienne Grandjean, general manager do sector de comunicações da Microsoft para a Europa Ocidental, na conferência que decorreu esta manhã em Lisboa.

Este responsável garantiu que a Microsoft não vai mudar de modelo de negócio e continua a apostar nas parcerias com fabricantes e operadores, até porque acredita que "um modelo de telemóvel único não satisfaz todas as necessidades". É por isso que entre os 30 equipamentos que devem ser lançados até final do ano com o sistema operativo Windows Mobile 6.5 cabem terminais com e sem teclado, com caneta, full touch, ou mesmo slide, dando aos utilizadores mais opções de escolha.

Mas a estratégia passa também por chegar aos vários níveis da vida dos utilizadores. O Windows Phone quer afastar-se da ideia do "telefone profissional" e conseguir conjugar o lazer e entretenimento com as ferramentas empresariais e de produtividade de uma forma transparente, tal como a sincronização com o mundo do PC e até com a televisão.

A acompanhar o lançamento do sistema operativo a Microsoft abriu também as portas do Windows Marketplace for Mobile, a loja de aplicações para a qual já tinha aberto inscrições. Esta loja pretende reunir as milhares de aplicações produzidas para o Windows Mobile que até agora estavam dispersas pelos portais dos parceiros da empresa e traz algumas novidades, como a possibilidade do utilizador poder "devolver" a aplicação no espaço de 24 horas se não ficar satisfeito com a sua utilização, adiantou Francisco Ramos Chaves, responsável pelo negócio Mobile, ao TeK.

Para já as aplicações disponibilizadas no Windows Marketplace for Mobile ainda rondam o milhar e são todas gratuitas, mas, como acontece noutras lojas de aplicações da concorrência, está prevista a disponibilização de aplicações pagas.

Com o lançamento do Windows Phone é também lançado o My Phone, um pacote de serviços desenvolvido em Portugal pelo Centro de Investigação e Desenvolvimento em tecnologias de mobilidade, uma unidade da Microsoft instalada em Braga que resultou da compra da Mobicomp em 2008.

O MyPhone tem uma série de serviços básicos, e gratuitos, que permitem ao utilizador proteger a informação através de backups e gerir informação num portal seguro. O serviço está disponível para o novo sistema operativo Windows Mobile 6.5 mas também para versões anteriores.

Foram também lançados novos serviços Premium, que para já estão disponíveis de forma gratuita mas que de futuro serão pagos, e que permitem bloquear o telefone à distância, ou apagar todos os dados em caso de roubo. Nos Estados Unidos está também disponível um serviço de localização do telemóvel que só deverá chegar a Portugal mais tarde.

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.