Um estudo realizado pela Trend Micro mostra que no segundo trimestre do ano aumentou para 25 mil o número amostras de malware detetado para Android, um número muito superior ao inicialmente previsto pela própria empresa de segurança, que apontava para um valor a rondar os 11 mil.



O número representa ainda um avanço significativo relativamente aos valores apurados para o primeiro trimestre, quando foram contabilizadas 6 mil amostras de malware dirigido ao sistema operativo móvel patrocinado pela Google.



Os dados apurados no final de junho levaram a empresa a rever em alta as previsões para o resto do ano e antecipam agora que no final do terceiro trimestre existirão 38 mil ameaças para Android, um número que aumentará para as 129 mil no final do ano.



"O que descobrimos superou as nossas expectativas", disse ao V3 o diretor de pesquisa da Trend Micro, Rik Ferguson. "Os criminosos descobriram que desenvolver aplicações maliciosas para Android se tornou mais lucrativo e têm investido nisso", acrescentou o responsável, sublinhando que a tendência tem vindo a confirmar-se ao longo dos últimos trimestres.



O responsável da Trend Micro defende que a Google tem de fazer mais para conter o crescimento das tentativas de ataque aos equipamentos suportados na plataforma Android e assegura que há um conjunto de medidas perfeitamente ao alcance da empresa.



O código malicioso escondido em aplicações comercializadas no Google Play (a loja de aplicações) pode ter vários fins. O mais perigoso é aquele que é desenhado para aceder a informação pessoal do utilizador, que tenta reutilizar para angariar proveitos.



Entre as aplicações com malware contabilizadas pela Trend Micro no final do trimestre estão algumas mais populares, como 17 apps descarregadas cerca de 700 mil vezes.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico




Cristina A. Ferreira

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.