A Orange prepara-se para lançar no mercado africano um serviço que vai permitir aceder, sem grandes custos económicos, ao Facebook "mesmo a partir dos telefones mais básicos", tirando partido de tecnologia 2G.

A operadora espera, desta forma, chegar a mais de um milhão de utilizadores durante o primeiro ano de disponibilização do serviço, suportado em tecnologia USSD - Unstructured Supplementary Service Data.

"A USSD é uma tecnologia usada por todos os dispositivos móveis GSM para enviar dados através de uma rede 2G, e já é amplamente usada em África", afirmou fonte da companhia, citada pelo The Guardian.

Este tipo de acesso vai permitir aos utilizadores aceder à maior rede social do mundo, tanto a partir de modernos smartphones como de telemóveis mais simples e baratos, que não suportam acesso à Internet através de tecnologias móveis mais modernas, como o 3G e 3,5G.

A proposta da Orange precisa de menos largura de banda, apostando num serviço baseado nas mensagens de texto. O utilizador insere um código no telefone, para dar início à sessão no Facebook e introduz depois um segundo código PIN para aceder à rede social em segurança, explica a C|Net.

Depois de ligado, poderá pesquisar entre a sua lista de contactos, aceitar e convidar novos amigos, atualizar o estado na rede social e comentar, gostar ou "desgostar" dos estados dos amigos.

Os planos de preços podem incluir o acesso diário, semanal, mensal ou por sessões de 10 a 20 minutos, estando o lançamento agendado já para este mês, na Costa do Marfim. A este mercado seguir-se-ão outros onde a empresa está presente no continente africano, adiantou.

O alargamento a África surge depois de a empresa ter estreado o serviço no Egipto, em 2011, onde ganhou 350.000 clientes no primeiro mês.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Joana M. Fernandes

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.