A PT já tem mais de 2,3 milhões de casas passadas com cabo de fibra ótica e em 2017 quer ter 3,3 milhões de casas passadas, chegando a 5,3 milhões em 2020, a um ritmo de 600 mil casas por ano, anunciou o CEO da empresa.

Esta a primeira conferência em que Paulo Neves, o novo CEO da PT Portugal assume maior protagonismo, já que o último momento de comunicação “oficial” com os jornalistas tinha acontecido em Junho. Na altura Armando Pereira (presidente do Conselho de Administração) liderou a apresentação do Programa da Economia Digital, onde também marcaram presença o então Ministro da Economia António Pires de Lima e Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, que se mantém no cargo no novo executivo.

O investimento é baseado em tecnologia portuguesa, desenvolvida pela PT Inovação, e também vai criar empregos, envolvendo 2 mil pessoas a trabalhar com a PT em infraestruturação nos próximos cinco anos. "A PT está cá de pedra e cal e vamos continuar. Investimento, qualidade de serviço e inovação são o nosso compromisso em Portugal", reforçou o CEO da empresa, mas sem revelar valores financeiros.

Paulo Neves destacou ainda o impacto que vai ter este alargamento da fibra em termos da qualidade dos serviços de TV e Internet mas também o desenvolvimento em outras áreas, como a telemedicina, para as empresas e os consumidores individuais.

O plano levará a PT a passar pelo país 30 mil km de fibra, o suficiente para percorrer 22 vezes Portugal de norte a sul. "Queremos estar no top 10 dos países com mais fibra ótica no mundo" garantiu Paulo Neves.

 

Inovação com tecnologia NG-PON2

O desenvolvimento da rede vai fazer-se com uma tecnologia desenvolvida em Portugal, e que é inovadora, com velocidades simétricas. "Estamos no futuro do que já é a tecnologia (..) para nós é um orgulho, foi feito fundamentalmente na PT Inovação, com pessoas portuguesas, materiais portugueses, estamos muito à frente do que se faz no mundo", acrescentou o responsável.

A tecnologia NG-PON2 é uma evolução da tecnologia atual e garante um aumento de capacidade para velocidades até 80 Gbps, 16 a 32 vezes mais rápido que o atualmente disponível.

Alexandre Fonseca, CTO da PT, explica que a tecnologia já está a ser trabalhada pela Portugal Telecom há vários anos e que permite outras vantagens para além da maior largura de banda, nomeadamente a simetria da ligação, em que a velocidade de download é equivalente à de upload. 

Hoje a rede G-PON oferece 2,5 Gbps no download e 1,25 Gbps no upload. Com a evolução para a NG-PON2 não será necessário passar novos cabos, já que há uma grande coexistência. “Hoje com os equipamentos que existem no mercado conseguimos disponibilizar acessos a 40 Gbps em cada um dos sentidos, e no início de 2016 estaremos em condições de alargar para os 80 Gbps”, explicou Alexandre Fonseca.

A redução do custo de acesso é outra das vantagens deste tipo de tecnologia, que fica à disposição dos clientes residenciais mas também dos clientes empresariais.

"Esta é uma das redes de fibra ótica mais evoluídas de Portugal, e arriscaria dizer uma das mais evoluídas a nível mundial", afirmou Alexandre Fonseca. Segundo o CTO é a primeira vez que se apresenta a nível mundial uma tecnologia de fibra simétrica e com estes débitos, "a PT e Portugal estão na vanguarda da inovação e investigação e este desenvolvimento sai do capital intelectual e propriedade industrial da PT”.

"O fabrico dos equipamentos recorre a fábricas portuguesas, totalmente made in Portugal ", sublinhou Alexandre Fonseca, acrescentando que existe a ambição de chegar a outras partes do mundo através da Altice, presente em 15 territórios e operadores de telecomunicações com quotas de mercado relevantes. E poderá ainda ser alargada a outras empresas fora do universo Altice.

A nova rede é destinada ao segmento residencial, mas também às empresas, que têm já maiores necessidades de largura de banda e simetria e que muitas vezes não conseguem suportar os custos de uma rede ponto a ponto.

"Esta tecnologia democratiza claramente esta necessidade de acesso", explicou Alexandre Fonseca, lembrando que as empresas têm necessidades de backup, acesso a cloud e outros serviços que tornam a simetria uma caraterística muito relevante.

A tecnologia foi demonstrada em tempo real durante a apresentação, e Elsa Rebocho, responsável pela rede de dados da PT, diz que com esta demonstração se fez história e que a Portugal Telecom é a primeira operadora a fazer a transmissão de 10 Gbps em simetria sobre uma rede real, e a primeira a construir um demonstrador para esta tecnologia, que vai chegar aos 80 Gbps em breve.

 

Fátima Caçador

 

Nota da Redação: A notícia foi atualizada depois de terminada a conferência de imprensa.

Preparámos entretanto um "explicador" sobre a tecnologia NG-PON2 que vai ser usada também pela Verizon.

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.