Cientistas do California
Institute of Technology
(Caltech) desenvolveram o sistema Fast
TCP
, destinado a aumentar radicalmente a velocidade de transmissão de
dados através da Internet. Ao mesmo tempo, a empresa californiana Centillium anunciou
recentemente ter alcançado os 50 Mbps de download e 3 Mbps de
upload com a sua tecnologia eXtremeDSLMAX.

Graças ao protocolo Fast TCP, uma actualização do Transmission Control
Protocol
que regula a forma como os dados da Net são divididos em partes e reunidos quando transmitidos através da Net, a equipa do Caltech espera obter uma ligação à Internet capaz de efectuar o download de um filme em apenas cinco segundo ou aceder a servidores de vídeo com qualidade televisiva em tempo real.

O actual sistema TCP foi desenvolvido nos anos 70 pelos engenheiros de redes Vinton Cerf da Universidade de Stanford e Bob Kahn da Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), agência do governo federal dos Estados Unidos e caracteriza-se por dividir grandes ficheiros em pequenos pacotes de 1500 bytes, cada um transportando o endereço do remetente e do destinatário. O computador transmissor espera por um sinal do remetente que confirma a chegada em segurança do pacote e envia em seguida
o próximo pacote.

Mas, este processo pode gerar um desaceleramento do tráfego quando uma pequena falha impede a confirmação imediata da recepção do pacote e este precisa de ser reenviado. Com o Fast TCP, que pode correr na mesma infra-estrutura de Internet que existe actualmente, o software e hardware no computador remetente são melhorados de forma a monitorizarem continuamente o processo de envio e confirmação de chegada e a prever a taxa mais elevada de transferência de dados que a ligação possa suportar sem que se percam dados.

O software revela assim os atrasos na linha, fornecendo avisos
relativos à provável perca de pacotes. Dado que os pacotes são do mesmo
tamanho que os empregues no TCP, não é necessário modificar qualquer
equipamento situado ao longo da transmissão por Internet nem adquirir novo hardware para que os computadores possam ler os dados.

Durante o primeiro teste prático da tecnologia, realizado em Novembro, durante uma conferência sobre supercomputação, investigadores do Caltech,
Universidade de Stanford e do laboratório suiço CERN enviaram dados para a Califórnia a partir de Genebra à velocidade de 900 Mbps, compactando com os apenas 266 Mbps alcançados pelo protocolo TCP através da mesma linha de transmissão. Ao juntarem dez sistemas Fast TCP entre si, conseguiram obter velocidades de transferência de 8,6 Gbps - mais de seis mil vezes a capacidade da típica ligação doméstica de banda larga. O Caltech está actualmente em negociações com a Microsoft e a Disney para a utilização do
Fast TCP em videoconferência.

Outra novidade recente mas mais virada para o mercado doméstico é a tecnologia eXtremeDSLMAX, desenvolvida pela Centillium, especializada na concepção de chipsets para banda larga, que, de acordo com esta companhia, é capaz de atingir velocidades de download de 50 Mbps e uploads de três Mbps, mediante o recurso a uma arquitectura de sílicio e a algoritmos avançados. A eXtremeDSLMAX suporta o sinal até sete quilómetros, embora a empresa não disponibilize mais pormenores sobre a taxa de velocidade de transferência a essa distância.

Actualmente, o ADSL tem uma velocidade limite de download de 8 Mbps e 640 Kbps de upload sobre uma distância máxima de 5,6 quilómetros. Esta nova tecnologia da Cerillium funciona através dos mesmos fios de cobre da linha telefónica, o que oferece uma maior compatibilidade com os suportes anteriores. Contudo, é necessário trocar de modem por um modelo que esteja equipado com os chipsets da fabricante.

Notícias Relacionadas:

2003-05-11 - Entrevista: Evolução da tecnologia ADSL em testes no DSL
Fórum

2003-01-05 - Protocolo TCP/IP comemora 20 anos

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.