Numa tentativa de se manterem lucrativas no contexto de uma política agressiva de redução de preços e de diminuição da receita média por utilizador (ARPU), as operadoras móveis estão a preparar o lançamento de serviços comerciais de localização (LBS) da próxima geração, de forma a criarem novas fontes de receitas, aumentarem a sua base de assinantes e reduzirem as despesas com cada consumidor.

A demonstrá-lo está um recente estudo da empresa de análise de mercado Frost & Sullivan denominado
"North American Location-based Service Markets", que conclui que este sector gerou 13 milhões de dólares de receitas no ano passado, número que deverá atingir os 850 milhões em 2006.

Os participantes no mercado estão a estabelecer parcerias com as principais entidades na cadeia de valor dos serviços de localização, dado que o desenvolvimento completo de soluções LBS requer a integração de infra-estruturas de redes sem fios, dispositivos que suportem georeferenciação, plataformas flexíveis e uma gama de aplicações e conteúdos específicos de localização.

Segundo os analistas da Frost & Sullivan, o crescimento do mercado poderá ser impulsionado pelo mandato Emergency 911 da Federal Communication Commission, entidade reguladora do sector das telecomunicações nos Estados Unidos, e pelos avanços subsequentes nas tecnologias de medição de localização, bem como pela infra-estrutura e pelos padrões wireless.

As aplicações destinadas aos consumidores, como guias de navegação baseados em voz, sistema que possibilitam a procura de amigos e serviços móveis de "portaria" irão fornecer o ímpeto inicial para a adopção dos LBS. Ao mesmo tempo, as empresas estão já a investir em soluções específicas das organizações como serviços de monitorização, gestão de força de trabalho e aplicações de segurança.

As operadoras móveis estão a tentar estabelecer novos modelos de tarifários que incorporem negociações de partilha de receitas nos acordos tradicionais de licenciamento, o que, juntamente com a implementação progressiva dos novos serviços, irá permitir que estas companhias reduzam o número de grandes investimentos directos e minimizem o risco.

Dado que o mercado dos serviços de georeferenciação é caracterizado por tecnologias em evolução rápida e padrões industriais em desenvolvimento, o seu crescimento irá depender da capacidade das operadoras móveis de adoptarem estruturas flexíveis e introduzirem ofertas seguras, de elevada qualidade e em tempo real de forma a ir de encontro às preferências dos utilizadores.

Notícias Relacionadas:
2002-11-04 - Nokia introduz nova série de serviços e produtos
2002-06-12 - Produtoras de hardware e software unem-se para
estabelecer padrões

2000-09-27 - Nokia, Ericsson e Motorola criam fórum global de serviços móveis

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.