O SMS é uma forma habitual de comunicação entre 91 por cento dos internautas portugueses inquiridos num estudo da Multidados, realizado em parceria com a Mobile Soft Systems, que pretendeu avaliar o impacto de uma tecnologia disponibilizada em Portugal há dez anos atrás e dar a conhecer hábitos nacionais.




Este retrato nacional dos hábitos de SMS mostra também que a maioria dos utilizadores pertencem ao sexo feminino (53,1%) e habitam na zona da Grande Lisboa (30,4%). A tecnologia é usada, segundo 31,6 por cento dos inquiridos, em várias ou quase todas as ocasiões, mas os elementos do sexo masculino mostram recorrer mais ao SMS por motivos profissionais.




Deixar de ler uma mensagem de texto recebida por telemóvel não parece ser de todo um hábito nacional, já que 98 por cento dos inquiridos indica abrir todo e qualquer SMS que lhe seja enviada. Trinta a 60 segundos é quanto demora em média escrever uma mensagem com 160 caracteres a 45 por cento dos utilizadores.




Da análise recente da Multidados conclui-se igualmente que 52,7 por cento dos utilizadores inquiridos costumam efectuar o download de toques, imagens e/ou jogos para o seu telemóvel, mas 68,5 por cento evita participar em passatempos por SMS.




Não será de estranhar que os nove por cento que neste estudo não se incluem entre o grupo de internautas que recorre ao SMS como uma ferramenta regular de comunicação se juntem ao mesmo para, pelo menos nesta altura, enviarem aos seus amigos e familiares os votos de boas festas, ajudando a bater de novo os recordes, tal como tem acontecido todos os anos, desde que a tecnologia móvel está disponível.




Notícias Relacionadas:


2004-01-04 - Volume de mensagens nas redes móveis volta a crescer no fim do ano


2003-12-26 - Operadoras móveis processaram mais de 135 milhões de mensagens no Natal


2002-12-31 - Serviço SMS bate recordes nas últimas festas do ano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.