A legislação proposta foi dada a conhecer pela ministra do Interior Theresa May e surge após a morte de um soldado britânico em Woolwich, na semana passada, interpretada como um ato terrorista.

Algumas das medidas recuperam uma proposta de legislação anterior que não chegou a avançar, conhecida como "snooper's charter", que gerou controvérsia, acusada por vários grupos de direitos civis de restringir a liberdade.

Se for aprovada, a nova lei prevê a recolha de informação, por parte das operadoras de comunicações, sobre os sites visitados na Internet e as mensagens enviadas através de email ou via serviços de chat. Há também a possibilidade de proibição de sites que apelem à guerra santa na Internet.

O conjunto de medidas propostas prevê também a monitorização sobre as mensagens e as chamadas feitas através de dispositivos móveis. Em qualquer dos casos .

"É essencial que as forças policiais e os serviços secretos tenham acesso a dados relacionados com emails e com a Internet para conter o extremismo", referiu Theresa Maya num programa da cadeia BBC, justificando a nova legislação.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.