O volume de minutos de voz realizados no serviço caiu 4,7% no segundo trimestre do ano, face aos três meses anteriores e 14,4% comparativamente aos mesmos três meses do ano passado, para um total de 1,66 mil milhões de minutos, que deram origem a 445 milhões de chamadas.<BR>

<BR>

Isto acontece, explica a Anacom que esta quinta-feira divulgou os números, porque os pacotes que integram comunicações fixas e que por isso levaram muitas famílias a voltar a usar este serviço, em muitos casos também incluem comunicações móveis e é para aí que os utilizadores canalizam as comunicações que realizam. <BR>
<BR>

Outra curiosidade em reação a este renascimento dos serviços de voz fixa é a tecnologia de suporte. O mercado já foi completamente dominado pelo cobre, mas nos últimos anos tecnologias como o GSM, o UMTS ou mais recentemente o LTE, a fibra e o cabo foram ocupando este espaço e hoje mais de metade das ligações são suportadas em alternativas ao cobre, revela a Anacom. <BR>
<BR>

No final de junho existiam em Portugal 4,6 milhões de linhas telefónicas fixas, número que traduz um crescimento de 2%. O grupo Altice, que detém a PT, a Cabovisão e a Oni, detinha 56,6% das linhas instaladas, seguido da NOS e da Vodafone, respetivamente com 31,9% e 11,1%. As receitas conseguidas pelos operadores no mercado de comunicações fixas entre abril e junho atingiram os 905 milhões de euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.