A operadora móvel do grupo PT, a TMN, anunciou hoje o lançamento comercial do UMTS, antecipando a data limite estabelecida pelo regulador de 1 de Julho. Numa apresentação aos jornalistas, Iriarte Esteves, presidente da operadora, explicou que está em teste a cobertura 3G das 10 cidades onde irão decorrer jogos do Campeonato Europeu de Futebol e que, na altura do evento, a rede estará operacional também nessas zonas, ultrapassando os limites de cobertura definidos pelo regulador na revisão das condições da licença (e que apontavam para 20 por cento da população).



Iriarte Esteves explicou que o timing de lançamento do serviço foi definido depois de vários testes à tecnologia que permitiram concluir a maturidade da rede. Contudo, o responsável admite que a operadora continuará a trabalhar no sentido de melhorar a qualidade do mesmo e desenvolver novas funcionalidades.



Os primeiros terminais UMTS que a operadora disponibiliza são da Siemens e chegam às lojas na próxima quarta-feira, ao preço de 699 euros e com uma velocidade de transmissão de dados de 334 kbps.



Antes do Euro 2004 é quase certo que a operadora dê a conhecer mais modelos para as suas redes 3G, resultado de acordos que estabelecerá com outros fabricantes.



Os serviços (de voz e dados) já disponibilizados pela operadora através do i9 serão taxados da mesma forma se suportados pela rede UMTS. Iriarte Esteves explicou que a operadora pensa inclusive manter os pacotes de tráfego definidos para GPRS.



A vídeotelefonia, que acaba por ser a grande novidade do 3G, pelo menos para já, beneficiará de um preço promocional de 5 cêntimos por minuto até Setembro. Nessa altura, os montantes cobrados serão revistos para 99 cêntimos por minuto.



A prazo serão desenvolvidos novos serviços, quer exclusivamente para o móvel, quer para comunicações entre fixo/móvel. Uma das hipóteses em que a operadora está a trabalhar é nas chamadas de vídeo para a rede fixa, serviço que poderá estar disponível já no final do ano.



Um por cento dos clientes em 3G até final do ano
Para o ano fiscal de 2004 a TMN não prevê um grande impacto UMTS na sua performance financeira. Iriarte Esteves considera que numa primeira fase deverão ser os earlier adopters e empresas a aderir ao serviço estimando a angariação de uma a duas dezenas de milhar de clientes até final do ano.



Até finais de 2005 a operadora estima que um por cento dos seus clientes migre para o UMTS, percentagem que corresponderá a um número entre 100 a 150 mil clientes. Para impulsionar esta migração contribuirá a redução do preço dos terminais, "que no final do ano poderá aproximar-se dos preços médios para os terminais da chamada segunda geração e meia, entre os 200 e os 250 euros", avançou Iriarte Esteves com base em análises de mercado a que a operadora teve acesso.



Até à data o grupo PT investiu 180 milhões de euros no UMTS e conta investir nos três próximos anos mais 150 milhões de euros, avançou a mesma fonte.



Iriarte Esteves explicou ainda que o timing de lançamento do serviço foi definido depois de vários testes à tecnologia que permitiram concluir a maturidade da rede. Contudo, o responsável admite que a operadora continuará a trabalhar no sentido de melhorar a qualidade do serviço e desenvolver novas funcionalidades.



A TMN é o terceiro operador europeu a lançar o UMTS seguindo-se à Telia Sonera e à operadora britânica 3.




Notícias Relacionadas:

2003-06-25 - TMN responde a tendência de mercado móvel com Portal Multimédia i9

2002-05-09 - TMN mostra videofonia com telemóveis UMTS e anuncia MMS na Portugal Media

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.