A decisão hoje conhecida indica que o facto de a legislação prever que os dados de todos os cidadãos, de forma indiscriminada e sem limites, sejam guardados sem que os utilizadores dos serviços de comunicações sejam informados disso representa uma infração aos direitos de privacidade.



Recorde-se que a legislação europeia de retenção de dados prevê que os operadores de telecomunicações e serviços de Internet guardem até dois anos dados das comunicações geridas através dos seus serviços.


A lei foi introduzida para fixar um limite máximo de tempo a partir do qual não é permitido compilar dados do utilizador, mas também para assegurar um prazo mínimo durante o qual informações que podem ser úteis à justiça devem permanecer guardadas. São guardados dados das comunicações, mas também a informação necessária para identificar quem as faz, caso seja necessário.



O processo judicial que questiona a legislação europeia foi iniciado pela Digital Rights Ireland, uma organização de proteção da privacidade que considerou a legislação local nesta matéria um ato massivo de vigilância sobre a população.


Oito anos depois os argumentos do grupo irlandês foram reconhecidos pelo tribunal europeu para onde o caso acabou por saltar, já que a legislação irlandesa tem por base a diretiva europeia.


Diz a decisão que a diretiva "interfere de forma abrangente e particularmente séria com direitos fundamentais relacionados com a vida privada e proteção de dados pessoais".

A mesma decisão refere que "o facto de os dados serem guardados e posteriormente usados sem que os utilizadores sejam informados pode gerar nas pessoas o sentimento de que a sua vida privada está sujeita a uma vigilância constante".

Os juízes reconhecem que os objetivos da legislação são gerais, mas defendem que o legislador violou o princípio da proporcionalidade ao não definir limites mais claros ao âmbito da monitorização que pode ser feita ao abrigo da legislação.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.