Um estudo realizado nos EUA mostra como a generalização do uso de tecnologias móveis e a constante ligação à Internet estão a fazer com que as pessoas sintam que existem regras de conduta social subentendidas acerca da utilização da tecnologia móvel.

A análise foi realizada pela Harris Interactive, com o patrocínio da Intel, a propósito da aproximação das épocas festivas. Os investigadores concluíram que as violações destas regras de conduta assumem uma particular relevância durante a época que se avizinha: mais de metade dos inquiridos disse que ficaria ofendida se numa festa alguém tentasse secretamente utilizar um dispositivo com acesso à Internet.

Cerca de 80 por cento dos adultos entrevistados acredita que existem comportamentos inadequados no que respeita ao uso das tecnologias móveis quando se está em grupo. E cerca de sete em cada 10 (69%) concordam que as violações desta "etiqueta móvel", tais como consultar emails, enviar sms ou realizar chamadas na companhia de terceiros, são inaceitáveis.

"À medida que a tecnologia se torna cada vez mais parte das nossas vidas quotidianas e que tentamos alcançar o equilíbrio certo entre a conectividade constante e o estabelecimento de limites sobre a acessibilidade, as directrizes sociais e culturais para um comportamento adequado em relação à tecnologia móvel continuam a desenvolver-se e a mudar", explica Genevieve Bell, etnógrafa e directora do User Experience Group da Intel.

O uso de equipamentos como portáteis, netbooks ou mesmo telemóveis com ligação à Web é considerado inaceitável à mesa, por exemplo. No entanto, 75 por cento dos entrevistados consideram aceitável o uso deste tipo de aparelhos na casa de banho - apesar das considerações tecidas relativamente à higiene e outras explicações semelhantes.

Muitos dos entrevistados encaram a necessidade de estarem constantemente "ligados" como uma decorrência da "cultura negocial" que se vive, e 55 por cento concordam que a natureza do mundo empresarial actual exige que as pessoas estejam sempre contactáveis, mesmo que isso implique levar o computador de férias ou atender uma chamada durante a refeição.

Outra das consequências do uso generalizado da Internet no que respeita às festividades é a substituição dos habituais postais de boas festas em papel pelos electrónicos. Mais de metade dos internautas (62%) afirmou que preferiria enviar cartões virtuais ou emails e 88 por cento não se sentiriam ofendidos se recebessem as boas festas por email, em detrimento do manuscrito em papel.

As entrevistas foram realizadas entre 1 e 5 de Outubro, a total de 2.625 internautas com mais de 18 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.