Em outubro do ano passado um acordo entre a Telefónica e a Jazztel já tinha definido a união de esforços entre as duas empresas para desenvolver uma rede de fibra com investimento partilhado. Agora é a vez da Vodafone e da Orange confirmarem um movimento semelhante.



As duas empresas anunciaram que vão investir até mil milhões de euros para levar a fibra a 50 cidades espanholas. O investimento será realizado a quatro anos e pretende chegar a seis milhões de lares a partir de duas redes complementares, cada uma com capacidade para cobrir três milhões de lares.



Em Espanha, a Telefónica tem mantido uma posição em relação à partilha de infraestruturas na fibra semelhante àquela que também defende a PT em Portugal, bem como outros operadores incumbentes noutros países da Europa.



A empresa avançou sozinha para a tecnologia e, de acordo com dados publicados em fevereiro, já leva a fibra até 2,2 milhões de casas e a 323.285 linhas ativas. No entanto, e ao contrário do que acontece em Portugal, há já um acordo assinado entre a Telefónica e outro operador, para partilha de infraestruturas, com a Jazztel.



Vodafone e Orange garantem que não tem sido possível um entendimento em condições razoáveis, embora nos últimos meses as negociações tenham sido uma constante, revelaram os presidentes das duas empresas em conferência de imprensa.



A Orange chegou mesmo a anunciar no ano passado um investimento de 300 milhões para levar a fibra a 1,5 milhões de lares, mas o plano não chegou a avançar porque estava dependente de um acordo com a Telefónica, que não foi possível alcançar.



A nova intenção de investimento também é anunciada com a expetativa de um acordo que dê escala à estratégia, mas sem a resposta positiva da concorrente resta esperar por uma decisão regulatório e por isso as empresas pedem ao regulador que defina preços e prazos a impor à Telefónica.


António Coimbra, ex-presidente da Vodafone em Portugal e atual líder da operadora em Espanha, garante no entanto que a oferta comercial de fibra que Vodafone e Orange estão dispostas a criar ficará comercialmente disponível no próximo ano.



Em Portugal deve estar também para breve uma regulação regulatória sobre o tema. Entretanto, e para além da PT, investiram na tecnologia a Optimus e a Vodafone, que também juntaram esforços para investir em conjunto. A expansão da rede conjunto está parada e a cobertura garantida é baixa. A grande concorrente da PT na nova geração é a Zon, que modernizou a rede de cabo.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.