O mercado português conheceu esta semana a QlikView 10 service release 2, uma versão móvel da solução de BI da QlikTech, que apresenta agora novos "argumentos" estratégicos na óptica da "inteligência de negócio" orientada para o utilizador, num novo conceito de Business Discovery.

Uma das principais diferenças da nova release reside na disponibilização via servidor, ganhando-se desta forma autonomia face às marcas de equipamentos, contrariamente à "dependência" registada habitualmente com este tipo de aplicações.




Em entrevista ao TeK, Nuno Moura Pires, Portugal Sales Manager da QlikTech Ibérica, fala das mais-valias da nova solução e das expectativas de venda, avaliando ao mesmo tempo a evolução do conceito de Business Intelligence no mercado português.




TeK: Em que consiste esta nova release da QlikView? Que diferenças traz face à anterior?


Nuno Moura Pires:
O QlikView 10 tornou-se no geral mais intuitivo e robusto. Passámos a disponibilizar uma diversidade enorme de possibilidades de selecções nas tabelas, gráficos e display de informações que permitem combinações infindáveis de análises. A criação e acesso às aplicações a partir de qualquer plataforma fixa ou móvel está mais facilitada também. A exportação de dados para outros formatos mais tradicionais está mais célere e prática. Melhorámos as ferramentas de programação, para facilitar ainda mais o trabalho às equipas informáticas.


No QlikView on Mobile evoluímos a solução para uma lógica de disponibilização via servidor, ao invés de dependência de uma marca de equipamentos. Desenvolvemos uma arquitectura móvel unificada, que permite o QlikView correr a mesma informação e as mesmas aplicações nos equipamentos fixos e móveis de forma colaborativa, havendo uma segurança elevada ao nível do servidor. Mais uma vez, oferecemos a solução sem custos adicionais para os já utilizadores do QlikView em desktop ou portátil.




TeK: Como funciona? Porque decidiram apostar num produto assim?

Nuno Moura Pires:
Orgulhamo-nos de dizer que funciona da mesma forma que no desktop ou portátil com o acréscimo de tirar todo o partido das características nativas dos equipamentos móveis. Decidimos apostar no QlikView on Mobile porque as pessoas precisam de aceder aos dados em qualquer local e a qualquer hora e nos equipamentos que dispõe para tomar decisões relevantes, seja no escritório, avião, férias ou outro local.
Por outro lado, consideramos que na lógica de Internet das coisas em que estamos hoje, é fundamental a colaboração entre os equipamentos profissionais que se utilizam da forma mais uníssona possível e é assim que replicamos exactamente e em tempo real a informação que disponibilizamos num equipamento fixo ou móvel.



[caption][/caption]
TeK: A quem dirigem a solução?

Nuno Moura Pires:
O QlikView on Mobile é uma solução adequada para qualquer tipo de empresa pela necessidade de acesso à informação relevante onde e quando se precisa mas diríamos que, numa primeira fase em Portugal, junto de empresas com fortes equipas comerciais (comércio, retalho, farmacêuticas, etc) mas também junto dos decisores de topo que tem sido early adopters de tecnologia móvel para tornar as suas empresas mais preparadas para o contexto económico actual.


TeK: Quais pensa serem os pontos fortes da QlikView?

Nuno Moura Pires:
O QlikView distingue-se de base por ser uma solução de BI pensada na óptica do utilizador e não na óptica da informática, com isto quero dizer, que pensamos no QlikView para funcionar como uma ferramenta típica do dia-a-dia das pessoas como o Google ou o Facebook, daí termos até patenteado a nossa tecnologia única de análise associativa (análise de dados da mesma forma que a mente humana).

Por conseguinte, o que nos distingue é toda essa experiência associativa que facilita uma análise dos dados à velocidade do pensamento, uma interactividade centrada no utilizador única, podendo o mesmo com reduzida formação, desenvolver as suas próprias análises, a descoberta de mais informações que as inicialmente esperadas. Também a filosofia de informação disponível sempre que se necessita (QlikView on Mobile), onde se necessita (SaaS, Cloud Computing) e junto de quem necessita (dos habituais 20% de utilizadores de BI para os outros 80%). Por tudo isto, temos das soluções com time to market mais rápidas, que garantem um rápido ROI.

TeK: Como tem corrido a aceitação da solução em Portugal? Já têm clientes para a release agora lançada?

Nuno Moura Pires:
O Business Discovery da QlikTech - Business Intelligence orientado para o utilizador - tem obtido a aceitação prevista pela empresa, o quer dizer, bastante acima dos valores médios do nosso mercado. Estamos a falar de crescimentos anuais na ordem dos dois dígitos com contributo de todo o tipo de sectores de actividade (administração pública, retalho, banca, etc).

As empresas entendem o valor acrescentado de uma solução que é implementada num curto período e que, muitas vezes em tempo real, dá respostas às perguntas que antes só eram obtidas em semanas ou meses.

Outro factor que os clientes têm valorizado muito em Portugal é o facto de ser necessária pouca formação e os próprios utilizadores desenvolverem as suas aplicações sem terem conhecimentos avançados de informática, o que permite respostas às suas perguntas ad hoc e retirar recursos aos departamentos informáticos que passam a concentrar-se em desenvolvimentos mais estratégicos.

O novo release - QlikView 10 - está operacional na maioria dos nossos clientes em Portugal. A tecnologia patente é extremamente simples, o que permite a actualização rápida e fácil a partir das versões anteriores. Acreditamos que "está" uma solução muito equilibrada para o mercado português, tendo um pricing ajustado para satisfazer de forma robusta e fiável das PMEs às grandes empresas, independentemente do número total de registos envolvidos.

TeK: O BI já é um conceito percebido pelas empresas portuguesas ou ainda há dificuldade em entender os benefícios inerentes? O custo pode ser apontado como um entrave à adopção?

Nuno Moura Pires:
O BI é um conceito cada vez mais presente nas empresas nacionais, sobretudo o BI de nova geração como o QlikView. Tal resulta porque são soluções altamente flexíveis, simples, com uma curva de aprendizagem rápida mas, e sobretudo, porque permitem descobrir informações sobre a empresa que a tornam mais eficiente e eficaz e, assim, que garantem um rápido retorno de investimento.

No caso do QlikView, estamos a falar de dias ou poucas semanas, em que todos os níveis da organização conseguem ter respostas imediatas às questões que sempre colocam mas que também podem colocar ad hoc desde o momento que a informação de base o permita.

Se o custo é um entrave, não consideramos que seja, quando o retorno do investimento pode ser alcançado muitos casos em meses, e a empresa passa a obter respostas quando precisa, na plataforma que precisa, junto de quem precisa, com os níveis de segurança desejados. Por acréscimo, são soluções maduras que são já oferecidas nos modelos de negócios mais adequados às necessidades do cliente, quer isto dizer, em regimes de SaaS, Cloud Computing, etc.

TeK: Quanto custa ter o QlikView no iPad?

Nuno Moura Pires:
Para quem tem a licença normal para utilizar no seu PC, não custa rigorosamente nada o QlikView on Mobile. É só descarregar e utilizar de forma colaborativa. Não temos a intenção de a vender separadamente, apesar de poder funcionar autonomamente perante o facto de ser uma solução baseada em servidor (modelos SaaS ou mesmo cloud).

O nosso objectivo é fornecer informação útil a quem precisa, quando precisa e no meio que precisa (daí a nossa solução funcionar em portáteis, desktops, equipamentos móveis. Mais, queremos fazê-lo alargando o espectro dos habituais 20% de utilizadores de BI nas empresas para os outros 80% que não utilizam, mas que poderiam utilizar para tornar a empresa mais eficaz.

Partindo do QlikView, o QlikView on Mobile estende a simplicidade, aprendizagem rápida e filosofia de BI na óptica do utilizador para as características nativas dos equipamentos móveis, é o que designamos de Business Discovery móvel.

TeK: Que expectativas de venda têm para a solução?

Nuno Moura Pires:
Como é uma solução que não tem um custo adicional para os utilizadores, acreditamos que a adopção nos clientes actuais será muito rápida, tendo já diversas implementações em curso. Para os novos clientes, acreditamos que vai acelerar mais o nosso já rápido processo de compra, quer directo quer através de parceiros.

A mobilidade e colaboração estão na ordem do dia e são cada vez mais fundamentais num mercado cada vez mais dinâmico e sem fronteiras. Obter as mesmas sem custos adicionais numa ferramenta robusta mas ao mesmo tempo altamente flexível de business discovery é uma situação win/win para os clientes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.