O ZTE F230, da TMN, poderia ser um telemóvel em concha relativamente vulgar, apesar de bem equipado para um modelo de entrada de gama, caso não integrasse, com posição e cor de destaque, uma certa tecla azul com a palavra MEO inscrita.

De facto, nada neste telemóvel é particularmente notório, acima ou abaixo daquilo que a maior parte dos consumidores vieram a esperar deste ponto de preço. O bluetooth está lá, pelo que o ZTE pode ser ligado a uma infinidade de equipamentos, incluindo auriculares mãos-livres e terminais GPS; as velocidades de transferência de dados 3G também estão presentes, permitindo a navegação na internet, apenas comprometida pelo ecrã de tamanho reduzido, ou a leitura do email através do cliente nativo.

Câmara de 1,3 Megapixéis, com uma solução rotativa interessante, vídeochamada, ranhura para cartão de memória microSD, leitor multimédia nativo com teclas externas dedicadas, tudo relativamente comum.

Mas há o botão azul, e o botão azul faz toda a diferença.

A diferença é que, apenas com um toque nesse botão, sem necessidade de mais nenhuma busca, definição ou instrução, o ZTE F230 permite ao seu utilizador aceder à oferta de televisão móvel da TMN, o MEO Mobile. É a simplicidade que distingue este equipamento em particular, fazendo-o contrastar com as anteriores e actuais ofertas de serviços de televisão móvel dos restantes operadores e da própria TMN.

A televisão no telemóvel é um serviço distinto da utilização da internet móvel, dirigindo-se os dois serviços a clientes de perfis diferenciados e pouco compatíveis. O potencial utilizador do MEO Mobile não quer saber de proxies, definições OTA e poucas vezes irá utilizar o browser integrado no seu telemóvel, por muito grande que seja o ecrã do equipamento.

O que o utilizador do MEO quer é ligar a televisão, tal como o faria em casa, com apenas um botão e sem complicações, para usufruir de um serviço destinado a ocupar os tempos mortos entre o trabalho e a casa. Os concorrentes do serviço de televisão móvel da TMN não são as ofertas semelhantes das restantes operadoras, mas sim, os jornais diários de distribuição gratuita nos transporte públicos.

O ZTE F230 proporciona essa facilidade de acesso ao serviço que permitirá, em conjunto com a baixa de preços, democratizar a televisão móvel e torná-la numa utilidade comum, inerente à utilização de um telemóvel. O actuais tarifários de acesso ao MEO Mobile encontram-se já num patamar bastante acessível à maioria dos portugueses.

O acesso total e ilimitado, o MEO Total, permite, por 7,50 euros mensais, aceder a 28 canais de diversos tipos, incluindo canais nacionais e internacionais de notícias, como a SIC Notícias ou a Fox News, de entretenimento, como o AXN, Hollywood ou Odisseia, de desporto e infantis. Existe ainda uma oferta de dois pacotes temáticos, de desporto e infantil, por 4,40 euros por dia, pelo mesmo acesso mensal e ilimitado.

A simplicidade e o acesso barato não são, todavia, tudo, e o ZTE F230, apesar do seu preço de 99 euros, correspondente à oferta média e média-baixa da TMN e do seu desempenho exemplar nas funções básicas de telefonia e leitor multimédia, possui um ecrã principal de apenas 5,3 centímetros de diagonal, estando o streaming de televisão móvel restrito ao formato horizontal, resultando esta combinação numa imagem demasiado pequena e cansativa. Também a qualidade geral de construção do terminal, feito pela ZTE na China para a TMN, deixa algo a desejar.

Gostámos da simplicidade de utilização e características base e de conectividade do ZTE F230, bem como do seu preço relativamente acessível. O telemóvel MEO da TMN sai apenas prejudicado por uma área de visualização dos conteúdos televisivos demasiado pequena.

O ZTE F230 é um exclusivo TMN, e custa 99 euros.

http://imgs.sapo.pt/gfx/450688.gif

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.