O mercado global de bens tecnológicos de consumo registou um crescimento de 2% de valor durante 2020, impulsionado por uma elevada procura de produtos inteligentes. Segundo dados da GfK Portugal, o sector teve um desempenho melhor que a média, tendo crescido 24% no mercado, através de um estudo feito a sete países da União Europeia: Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Espanha, Holanda e Bélgica.

Entre os produtos que mais se destacam constam os detetores de alerta, os robots aspiradores e fogões de cozinha, impulsionados pelo confinamento imposto pela pandemia de COVID-19. Já a venda de produtos eletrónicos controlados pela voz disparou quase 61% em 2020, sendo este um dos segmentos mais vendidos do ano.

“A pandemia é a grande impulsionadora de uma digitalização acelerada em casa dos consumidores. A tendência de trabalhar em casa e estudar em casa deu origem a uma procura por produtos tecnológicos, gerando um crescimento de 19% para produtos de Smart Entertainment & Office nos mercados da UE7”, refere a GfK Portugal.

Os televisores assumem-se como o grande catalisador do aumento de valor dos aparelhos inteligentes. Conclusões que marcas como a Samsung já tinham dado a conhecer ao SAPO TEK, referindo que 29% das pessoas já utilizava o televisor com ecrã gigante para fazer videochamadas. Gadgets como headsets inteligentes também aumentaram mais de 100% em 2020, tendo-se prolongado neste primeiro trimestre de 2021, que segundo a especialista mantém a elevada procura, com a continuação do confinamento na maioria dos países presentes no estudo.

A saúde e higiene receberam mais atenção dos consumidores, levando a um crescimento de smart small domestico appliances e do sector da Saúde Inteligente, entre eles aspiradores, aparelhos de diagnóstico pessoal, gadgets para medir a condição física e pulseiras de atividade. Este segmento foi o que cresceu mais rápido nos países estudados, com um aumento de 41%. Só os aspiradores registaram um aumento de 43% no seu valor.

Considerando que ao ficar em casa os consumidores deram mais utilização à cozinha, a procura de aparelhos para ajudar nas tarefas culinárias subiu em 71,5%, destacando-se os fogões integrados inteligentes com um aumento de 48,2%.

Ainda de acordo com o relatório, a Alemanha e o Reino Unido são os maiores mercados em valor para produtos inteligentes, ainda que a Holanda tenha liderado o crescimento com um aumento de 44% do valor. O crescimento inteligente foi mais significativo no sector do entretenimento e escritório, com 66%, sendo um valor inferior em outros sectores.

A GfK prevê que o controlo por voz nos produtos dentro de casa é uma das tendências de crescimento no futuro, estando a ser exploradas pela Google, Apple e Amazo, que querem estar presentes no ecossistema inteligente dos lares.

De recordar que as diferentes fabricantes apresentam soluções diversificadas de domótica para aliviar algumas das rotinas mais aborrecidas em casa, como as tarefas domésticas. Com o isolamento e o teletrabalho há um ponto em que o estar em casa significa ter a capacidade de distinguir o tempo efetivo de trabalho e o espaço necessário para exercer as atividades domésticas. Por isso, existem cada vez mais soluções de domótica que pretendem ajudar as pessoas em casa a, pelo menos, desfrutarem de mais tempo livre, servindo como “shortcut” para uma vida mais tranquila.

Veja na galeria alguns dos produtos inteligentes que pode usar para tornar a casa mais inteligente:

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.