O mais recente estudo da Accenture revela que as empresas empenhadas no seu processo de transformação digital conseguem alcançar o dobro das receitas em comparação com as que não apostam tanto na inovação tecnológica. De acordo com a análise da consultora, em 2018, as organizações menos tecnologicamente avançadas registaram perdas de 15% da sua receita anual.

Para chegar às conclusões apresentadas, a Accenture realizou uma análise a mais de 8.300 empresas, em mais de 20 indústrias e 20 países. As organizações foram avaliadas tendo por base os domínios da adoção de tecnologia, da profundidade da adesão à inovação e da capacidade organizacional e cultural. Após atribuir uma pontuação a cada um dos aspetos em análise, a Accenture determinou quais as empresas que se enquadram na categoria “Leaders”, as que lideram o “comboio” da implementação da inovação tecnológica na sua organização, e na “Laggards”, as que estão mais atrasadas no processo de transformação digital.

Diferenças entre "Leaders" e "Laggards"
Créditos: Accenture

O estudo revela que as “Laggards” que não adotem uma abordagem que tenha em vista uma transformação digital sustentável podem perder um potencial de crescimento de 46% das suas receitas até 2023. “Para serem competitivas no atual mundo orientado a dados, nesta economia chamada pós-digital, as organizações devem definir uma estratégia clara para a adoção de novas tecnologias e uma visão dos seus sistemas de futuro”, revela Rui Barros, Managing Director na Accenture Technology citado em comunicado à imprensa.

No outro lado do espetro, as “Leaders” estão a “apostar em tecnologias flexíveis, abertas e escaláveis baseadas na cloud, potenciando os dados como um ativo diferenciador, garantindo maior alinhamento entre o negócio e IT, estimulando a inovação e o talento de forma transversal a toda a organização”, indica Rui Barros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.