O questionário foi publicado esta semana mas a IDC já está a medir a situação desde o início do ano em termos internacionais, com contactos diretos com as empresas e avaliação do impacto nas cadeias de distribuição e de abastecimento. Agora em Portugal, de uma forma mais estruturada, pretende analisar o impacto do COVID-19 no mercado de TI, assim como analisar o que o IT/Digital pode fazer para ajudar a nossa economia e sociedade ultrapassarem esta crise.

"As empresas mais digitais estão numa posição diferente, mais preparada, do que as empresas tradicionais", refere o Director-Geral da IDC para Portugal, lembrando que estas, sobretudo as PME que representam cerca de 95% do tecido empresarial português, não têm plataformas de e-commerce, não têm ferramentas de teletrabalho, e por isso têm mais dificuldade em enfrentar esta situação de quarentena. E admite que muitas podem não sobreviver a este tempo de paragem forçada da atividade, com problemas de cash flow, dificuldade em pagar salários e manter clientes. Mesmo que consigam atravessar esta fase terão depois dificuldade em recomeçar o negócio, avisa.

IDC alerta para impacto profundo da COVID-19 no mercado tecnológico europeu
IDC alerta para impacto profundo da COVID-19 no mercado tecnológico europeu
Ver artigo

Para Gabriel Coimbra, esta situação irá também aumentar o fosso entre países que têm uma maior maturidade digital e os que estão menos preparados para usar as ferramentas online. "Vai ser um novo mundo, onde vão surgir novas questões", sublinha em entrevista ao SAPO TEK.

Os cenários de evolução da IDC para a Europa apontam para uma redução do crescimento do mercado de TI, que agora se estima que se fixe em 1% em 2020, face aos mais de 3% que tinham sido estimados.

Ainda assim Gabriel Coimbra admite que há alguns efeitos de crescimento nesta quarentena forçada que muitos países enfrentam, incluindo Portugal, sobretudo pela procura de soluções de mobilidade, como portáteis, videoconferência, ou de colaboração e segurança, assim como de Cloud. Mas há outras áreas que se vão ressentir mais, como os servidores, periféricos e formação, por exemplo.

O inquérito conta já com mais de 2 centenas de respostas mas uma maior base de participação vai ajudar a melhorar a qualidade dos dados. Em breve a IDC Portugal vai partilhar os dados através de um webinar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.