Uma semana depois da Xbox Series S|X chegar às lojas, é a vez da Sony lançar a sua PlayStation 5, que no território europeu acontece no dia 19. Sendo Portugal um país com forte tradição das consolas da Sony, que devido à sua grande quota do mercado, muitos fãs estão com receio de que a quantidade de consolas disponíveis para venda não chegue para as encomendas, sujeitando-se a esperar um pouco mais pela reposição de stock.

Até porque a Sony anunciou que os interessados em adquirir a PS5 no primeiro dia, esta não estará à venda em loja, mas sim vendida exclusivamente online. As medidas visam mesmo manter tanto os jogadores, os retalhistas e demais trabalhadores seguros devido à pandemia de COVID-19. Nesse sentido, todas as lojas online, parceiras da Sony, irão conduzir as respetivas vendas.

Outra dúvida que os fãs da consola vão ter é sobre que modelo devem adquirir, pois existe a versão normal, com leitor de Blu-ray por 500 euros, e uma totalmente digital, por menos 100 euros. Ao contrário das duas consolas da Microsoft, os dois modelos PlayStation 5 têm as mesmas especificações de hardware, exceto a drive.

Mas quais são as principais características da nova consola? Os olhos estão postos em primeiro lugar no novo comando Dual Sense, pelas suas sensações hápticas durante os jogos. Mas também o SSD rápido, pretendendo eliminar os tempos de carregamentos.

Conheça na galeria as principais características da PS5 mais ao detalhe:

Dual Sense oferece todas as sensações nas palmas das mãos

O comando DualShock foi reformado, dando agora lugar ao Dual Sense, um periférico que promete ser “game changing” na experiência de jogo. O comando mistura o melhor do rumble que os JoyCons da Switch introduziram no mercado, com o giroscópio e sensores de movimento dos anteriores modelos, e ainda, introduz um microfone que pode ser utilizado tanto na conversação, como em mecânicas de sopro, tal como a 3DS da Nintendo.

O periférico é ergonómico e pretende encaixar-se nas mãos de qualquer utilizador, e graças à sua camada com textura (curiosamente formada com o relevo dos quatro símbolos característicos dos botões em forma minúscula e difícil de ver a “olho nu”) permite agarrá-lo firmemente sem escorregar.

Na sua utilização prática, todo o tipo de materiais que pisar vai sentir diretamente nas mãos, incluindo areia, vidro, metais, e outros, ajudando dessa forma na imersão, tal como testemunhámos em Astro’s Playroom, um jogo que está disponível gratuitamente e pré-instalado em cada consola. E todas essas sensações de vibração dinâmica são complementadas com o som do altifalante embutido no comando. No geral, é impossível não apontar o comando como o principal elemento diferenciador da consola.

Guerra ao tempo dos carregamentos com o SSD personalizado

A PlayStation 5 vai ter uma configuração de hardware muito parecida com a sua rival Xbox Series X, e isso inclui o CPU AMD Ryzen de oito núcleos e 16 threads a 3,5 GHz, com uma frequência variável. Cada fabricante tem depois a sua própria personalização mediante a sua arquitetura. Também tem um GPU Radeon DNA 2 e 16 GB de GDDR6.

Porém, o seu SSD de 825 GB personalizado sempre foi o principal trunfo no que diz respeito aos carregamentos. Na Xbox Series X há o Quick Resume, que na PS5 não tem, mas é garantido que se consegue entrar e sair de um jogo para outro em poucos segundos. Jogos como Spider-Man e Sackboy Adventures demonstraram ainda que os carregamentos são praticamente inexistentes, seja a entrar num nível ou a saltitar entre os pontos de “fast travel”. Isto significa também que os jogadores vão passar mais tempo a jogar, do que a olhar para “ecrãs de loading”.

Quase 4.000 jogos disponíveis em retrocompatibilidade e PlayStation Plus Collection

A Microsoft não conseguiu garantir exclusivos para a sua consola, depois do adiamento de Halo Infinite e defende-se com o seu excelente serviço Game Pass e retrocompatibilidade das anteriores consolas. A Sony tem um catálogo sólido de jogos exclusivos, nomeadamente Marvel’s Spider-Man Miles Morales, Astro’s Playroom, Sackboy Adventures e o remake de Demon’s Souls para referir alguns.

Relativamente à retrocompatibilidade, a Sony garante quase 4.000 jogos disponíveis, desde os clássicos das primeiras consolas disponíveis no serviço PlayStation Now, e praticamente todos os jogos da PlayStation 4. Uma dezena deles, por questões técnicas, não podem ser atualizados.

Acrescentando-se à oferta, os utilizadores que fizeram a adesão ao serviço PS Plus, ou que já usufruam do mesmo, passam a ter acesso ao PlayStation Plus Collection. Trata-se de uma seleção de grandes títulos lançados na PlayStation 4, com 20 jogos no seu lançamento, prometendo a entrada de mais no futuro. Só dos estúdios internos destacam-se Days Gone, Bloodborne, God of War, The Last of Us Remastered ou Unchard 4: A Thief’s End. Dos estúdios externos conte com Batman: Arkham Knight, Mortal Kombat X, Persona 5 e Resident Evil, para salientar apenas alguns.

Existe assim, um catálogo vasto de jogos (para as duas consolas) sobretudo para jogadores que não tiveram acesso às plataformas de geração anterior.

Veja na galeria alguns dos novos jogos da PlayStation 5 que vão ser lançados:

Nova dashboard e experiência de navegação

A Sony demonstrou a forma como os jogos estão agora mais integrados na dashboard, incluindo a PS Store, que já não é uma aplicação à parte. Essa estratégia visa oferecer uma experiência mais centrada nos jogadores. Os novos menus e a experiência de navegação foram criados de raiz para a nova consola, de uma forma mais orgânica entre os jogos e os menus. Para já, a dashboard foi construída de raiz em 4K, mostrando os menus mais arrumados e organizados. Até porque além dos jogos, ambas as consolas pretendem oferecer serviços adicionais ao longo do tempo.

O maior destaque da dashboard são os cartões de atividades gerados pelos próprios videojogos. Acessíveis durante a partida, premindo o botão de PlayStation do comando, estes apresentam missões e objetivos dos jogos que podem aceder diretamente, como atalhos. Pode ver a percentagem que completou dos objetivos e até o tempo estimado para o fazer, como foi exemplificado no Sackboy Adventures. E com o SSD rápido da consola, os jogadores podem saltitar entre esses objetivos, pelo que se viu. Existem outras interações, como captar imagens e vídeos do jogo que ficam disponíveis.

Já na parte inferior, há uma linha de ícones, como o acesso comando, microfone (que pode dar mute direto), amigos e outros elementos, mais fáceis de aceder. Ainda no que diz respeito aos cartões, os estúdios podem oferecer dicas em vídeo, caso necessite encontrar algum item secreto ou ultrapassar um puzzle, invés de ir procurar na internet. Ainda que esta funcionalidade seja exclusiva de utilizadores do serviço PlayStation Plus.

Por fim, as atividades com amigos, sendo possível espreitar o que o amigo está a jogar, num sistema picture in picture, e caso seja um jogo multijogador, saltar imediatamente para o mesmo, como demonstrado em Destruction AllStars.

Visuais com efeitos de Ray Tracing e qualidade 4K

Pode parecer estranho que as novas consolas da Sony e Microsoft “embandeirem” o 4K como funcionalidade, quando as versões Pro e One X da geração anterior ofereciam esta resolução. A diferença é que muitos dos jogos anteriores eram representados em upscalling. Agora, os jogos são criados de raiz para oferecer uma resolução 4K nativamente e isso a diferença em toda a arquitetura dos jogos. Os jogos oferecem os novos efeitos de ray tracing, com reflexos e iluminação bem mais realísticos e envolventes. E isso sim é a nova geração. E isto para não falar na diferença que faz jogar com o HDR ativo, caso tenha uma televisão com suporte à tecnologia.

O grande desafio das máquinas é agora manter os jogos a correr em 4K, a 120 frames por segundo, que é outra das promessas das novas consolas. E por isso, alguns dos jogos vão ter dois modos de experiência: performance (para correr a 120 FPS, mas a 1080p, por exemplo), ou visuais, em que o jogo corre a 4K, mas a 60 FPS. Do que se sabe, apenas alguns jogos correm a 120 FPS, incluindo Call of Duty: Black Ops Cold War, Devil May Cry 5: Special Edition, DiRT 5, Monster Boy and the Cursed Kingdom e Rainbow Six Siege. Mas na PS5, apenas para já, só Call of Duty: Black Ops Cold War corre a 4K a 120 FPS.

O interessante é que a consola suporta ainda saída para 8K, para jogar em ecrãs com resolução de 4320p. Claro que será através de upscalling, mas é um bom início para o futuro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.