A seleção de um novo diretor executivo para a Microsoft demorou cinco meses. Terá envolvido dezenas de candidatos, que progressivamente foram formando uma short list com os perfis mais adequados ao cargo, explicava no início do ano num blog o responsável da comissão criada para o efeito.



Ao longo do quase meio ano que mediou o anúncio de Steve Ballmer e a decisão do conselho, muito se especulou sobre o tema. O nome de Satya Nadella veio sempre à baila, como uma das hipóteses "caseiras", mas a imprensa, e até os sites de apostas, tinham mais fé nos nomes externos à empresa, como o atual CEO da Ford, um dos nomes apontados com mais insistência durante todo o processo.


A decisão acabou por não ser essa e Satya Nadella assume assim a liderança de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo quase como um desconhecido, ainda que nos últimos anos tenha desempenhado funções de liderança na empresa.


Agora mesmo, o responsável desempenhava funções como vice-presidente da unidade de empresas e cloud da Microsoft. No cargo desempenhou um papel central na transformação da empresa e na integração dos modos as a service, que hoje são transversais às diversas áreas da organização. O Windows Azure é um dos produtos relevantes da unidade de negócio que Nadella integrou, desenvolvido e posto no mercado durante a sua permanência no cargo.

[caption]Microsoft CEO[/caption]

Antes destes funções, Nadella liderou o negócio de servidores ou a investigação e desenvolvimento na divisão de Online Services, onde terá também desempenhado um papel central na migração para novos modelos de licenciamento e na operacionalização dessa alternativa aos modelos tradicionais. Também já tinha sido vice-presidente da Microsoft Business Division, unidade que centra as soluções de negócio da fabricante, mas também o popular Office.


Embora o percurso profissional deste engenheiro tenha sido feito sobretudo na Microsoft, antes de chegar à empresa Nadella ainda passou pela Sun Microsystems, empresa que hoje pertence ao universo Oracle.


Quando chegou à Microsoft, em 1992, Nadella foi contratado para integrar a equipa de desenvolvimento do Windows NT. Os conhecimentos na área do Unix e dos sistemas operativos de 32-bit enquadraram-no no perfil de candidatos que a Microsoft procurava à data.


A proposta de trabalho surgiu quando frequentava um mestrado em Chicago. Aceitou o convite e continuou no curso, que demorou dois anos e meio a completar e exigiu que viajasse todos os fins de semana para aquela cidade e regressasse durante a semana para trabalhar em Redmond.


A formação do novo CEO da Microsoft começou na Índia onde passou pela universidade de Mangalore e por uma escola pública de elite, um privilégio que garantiu pelo facto de vir de uma família numa situação económico confortável - o pai era funcionário do governo local. Continuou a estudar nos Estados Unidos, onde fez dois mestrados. Um primeiro em ciências da computação na universidade de Wisconsin - Milwaukee e um outro na Universidade de Chicago, na área da gestão.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Nadella é casado e tem três filhos. Nasceu em Hyderabad, capital do Estado indiano de Andhra Pradesh e reside atualmente em Bellevue, Washington. A paixão pelo cricket surgiu em criança e foi o que o motivou a integrar a equipa escolar e a praticar a modalidade durante vários anos. Na entrevista que deu após a nomeação garante que é um eterno curioso, com muita vontade de aprender sobre todas as áreas e abraçar novos desafios.


Na nova função, o CEO tem pela frente a integração do negócio de telemóveis da Nokia na Microsoft, numa altura em que a empresa está a finalizar uma das mais profundas reestruturações da sua história. O sucesso desta reestruturação terá aliás, para muitos críticos, um peso determinante na capacidade do grupo para garantir sucesso nas suas principais áreas de atuação.


A Microsoft é referenciada como uma empresa de estrutura complexa, pouco flexível e extremamente compartimentada, um cenário que para muitos é a grande explicação para que a escolha do novo CEO tivesse recaído sobre alguém da casa, que conhece a mecânica e se tem destacado pela boa capacidade de comunicação e de trabalho em equipa, algo que nem sempre era atribuído a Ballmer.


A nomeação de Nadella para o cargo é também vista como um sinal claro de que o software continuará a ser o coração da Microsoft, embora apostas recentes da empresa em áreas como a Xbox, os telemóveis ou os tablets Surface indiciem outros interesses. Será interessante ver como se vão acomodar estes dois mundos no futuro.

No perfil do novo CEO é também de destacar a abundância de competências técnicas, bem como a proximidade às áreas de inovação e produto da empresa, algo que muitas vezes foi apontado como uma limitação em Ballmer. Por outro lado, Nadella nunca dirigiu uma empresa, embora tenha formação nessa área. O futuro mostrará como se vai sair o 3º CEO da história da Microsoft.


Entretanto, veja a primeira entrevista do responsável, depois de nomeado CEO da gigante do software.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Cristina A. Ferreira

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.