São três os candidatos escolhidos, entre um total de 25 propostas apresentadas pela comunidade científica, para integrar a quinta missão de classe média da ESA, no seu programa científico de Visão Cósmica, com data de lançamento planeada para 2032.

Transient High Energy Sky and Early Universe Surveyor (Theseus), SPace Infrared telescope for Cosmology and Astrophysics (Spica) e a missão EnVision para Vénus, foram selecionados de 25 propostas apresentadas pela comunidade científica. Serão estudados em paralelo e espera-se uma decisão final em 2021.

O conceito Theseus pretende monitorizar eventos transitórios no Universo de alta energia em todo o céu e durante toda a história cósmica, explica a ESA. Em particular, promete fazer um censo completo de explosões de raios gama dos primeiros mil milhões de anos do Universo, para ajudar a compreender o ciclo de vida das primeiras estrelas.

Já o Spica é um projeto conjunto europeu-japonês que oferece melhorias significativas nas capacidades de levantamento e espectroscopia de infravermelho distante sobre os observatórios espaciais Spitzer e Herschel da NASA, asseguraria avanços na compreensão da origem e evolução das galáxias, estrelas, planetas e da própria vida. Também complementaria as capacidades dos observatórios existentes e previstos, como o Atacama Large Millimetre/submillmetre Array e o Telescópio Webb.

Solar Orbiter, Euclid, Plato e Ariel são conceitos que já foram selecionadas como missões de classe média para serem lançados durante a próxima década. Pode conhecer outros projetos em análise para futuras missões da ESA, e aqueles que estão a avançar, através desta página.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.