Se já fez o exercício de olhar para os carros que circulam nas principais estradas portuguesas - sobretudo as mais "engarrafadas" - já verificou certamente que a larga maioria transporta apenas o condutor. O resultado é a multiplicação de emissões de carbono, gastos de energia e desperdício de tempo nas deslocações. Tudo somado dá uma grande dor de cabeça para utilizadores e para quem gere os sistemas de mobilidade urbana.

O recurso a veículos eléctricos, bicicletas e transportes públicos estão entre as opções mais recomendadas para alterar a situação, mas há outras alternativas de mobilidade sustentável que passam pela partilha de transporte.

O recurso ao carsharing tem cada vez mais adeptos e as vantagens são evidentes: poupa dinheiro, arranja companhia e contribui para melhorar o ambiente.

Porém, muitas vezes o problema é arranjar "boleias" compatíveis, que morem na mesma zona, tenham os mesmos horários e se desloquem com frequência (diariamente?) para as mesmas regiões da cidade.

Mas tudo tem solução com algumas ferramentas online criadas de propósito para esse fim.

O De Boleia é um bom sítio para começar. O projecto arrancou em 2007 e continua no ativo, sendo um dos mais adequados para quem procura alternativas de "longa distância".

Logo na página inicial encontra uma lista de locais a partir dos quais é possível apanhar boleia, tendo em conta as ofertas/pedidos registados no site para condutores e passageiros.

Mais abaixo encontra os últimos anúncios colocados na plataforma. A utilização do site é gratuita e a concretização das ofertas que ali se publicam da responsabilidade dos intervenientes. Contudo, os responsáveis pela plataforma dão umas dicas sobre como deve fazer a sua opção.



A segurança é um dos aspectos abordados. Os promotores assumem que a questão é uma das mais focadas pelos utilizadores e recomendam que a cada combinação os utilizadores troquem entre si dados, de Bilhete de Identidade e outros, e que os confirmem antes de iniciar a viagem. Esta informação deve ficar também na posse de alguém próximo ao viajante.

[caption]De Boleia[/caption]

Junte à lista de opções o Carpool, que aposta numa apresentação mais gráfica, com mapa e tudo. Depois de fazer o registo gratuito no site é preciso definir um conjunto de informações de perfil que permitirão aos restantes membros do serviço conhecer as suas "regras de viagem" e os detalhes relativos aos percursos que costuma fazer, horários de viagem, tolerância a atrasos e outras informações úteis para que tudo corra sem problemas na altura da viagem.

Neste momento, e de acordo com a informação no site, existem perto de 2.400 carpoolers espalhados pelo país e distribuídos num mapa da Google.

[caption]Carpool[/caption]

E ainda não ficam por aqui as alternativas à disposição de quem gostou da ideia. Alguns gigantes dos transportes também já "pegaram" no assunto. É o caso da Carris, responsável pelo Clube Mob Carsharing, ao qual a EMEL também se juntou.



Lançado a 30 de Setembro de 2008, o sistema é ligeiramente diferente dos restantes e está limitado à cidade de Lisboa. Este clube permite o aluguer de automóveis à hora, usando a Internet ou o telefone para o fazer. O serviço é dirigido a particulares - famílias, por exemplo, - mas também a empresas, sem frota própria ou à procura de alternativas para fazer deslocar os colaboradores. É, como se explica no site, uma proposta complementar à oferta de transportes públicos da Carris.



Os automóveis reservados são levantados em parques da capital e os carros desbloqueados através do cartão Lisboa Viva. Os preços são cobrados à hora ou por quilómetro, desde 1,90 e 0,33 euros, respectivamente. No fim do mês o cliente recebe em casa a factura total de utilização do serviço.

Com a adesão da EMEL a este projeto os clientes passam a ter direito a estacionar os carros nos parques desta entidade e nas ruas abrangidas pelo serviço sem pagar mais nada.

[caption]Carris[/caption]

O GalpShare é outro site a referir. Como o nome indica é uma iniciativa da Galp e afirma-se como promotora da primeira comunidade online de mobilidade urbana. O primeiro passo para usar o serviço é o registo gratuito no site Energia Positiva. Depois disso é preciso definir um perfil e finalmente publicar anúncios dos percursos.

Além de permitir a troca de contactos entre gente que partilha percursos, a plataforma é também, entre as referidas, aquela que mais se assemelha com uma rede social, procurando fomentar o sentido de comunidade entre os membros.

[caption]Galp Share[/caption]

A norte o car sharing faz-se também com o Citizenn car-sharing, um serviço que aluga carros em vários pontos do Grande Porto. A frota inclui vários carros, do Smart ForTwo ao Mercedes Classe A e os tarifários partem de 1,99 euros à hora, incluindo custos de gasolina e manutenção.

Tal como noutros serviços, é obrigatória a adesão e a reserva prévia dos carros.

[caption]Nome imagem[/caption]

E se apanhar o gosto à boleia, pode sempre estender fronteiras a outras viagens de âmbito europeu e experimentar soluções mais globais...

Escrito ao abrigo do Acordo Ortográfico

Nota da Redação: A propósito da Semana da Mobilidade, que é assinalada entre os dias 16 e 22 de Setembro, o TeK vai publicar alguns artigos sobre a forma como as tecnologias podem ajudar a uma mobilidade mais sustentável. Se tiver sugestões envie um email para geral@tek.sapo.pt

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.