A data da criação do motor de busca que assume uma das marcas mais conhecidas no planeta é assinalada hoje, marcando oficialmente o dia em que dois estudantes da Universidade de Stanford se juntaram para desenvolver um motor de busca.

O projeto de Larry Page e Sergey Brin recebeu o nome de BackRub e esteve um ano a funcionar nos servidores da universidade, mas em 1997 ganhou o nome de Google, numa alusão à palavra "googol", um termo matemático para um número representado pelo 1 seguido de cem zeros.

A ideia estava associada à vontade de "organizarem uma quantidade aparentemente infinita de informações na Web", explica o site do serviço. O domínio google.com foi registado logo em Setembro desse ano.

O lançamento do serviço dá-se pouco tempo depois, quando o co-fundador da Sun, Andy Bechtolsheim, passa um cheque de 100 mil dólares para criação da empresa Google Inc, que começa a funcionar em Setembro de 1998, numa garagem. O registo da empresa é feito a 4 de Setembro e a companhia contrata na mesma data o seu primeiro funcionário, Craig Silverstein.

A capacidade de indexação e os algoritmos que tornaram os seus resultados mais eficientes foram crescendo, e o design também evoluiu, mantendo sempre um aspeto minimalista com o domínio da caixa de pesquisa, animada pelos famosos doodles que reinventam o logo de acordo com efemérides a assinalar.

Em 1998 a página da Google tinha este aspecto:

[caption]google em 1998[/caption]

O contraste é grande com a imagem que hoje assume, onde um doodle animado desafia os visitantes a recolherem os doces para celebrar o 15º aniversário.

[caption]google 2013[/caption]

Em maio de 2000 é feito o lançamento das primeiras versões do serviço noutras línguas, entre as quais se inclui o português. Francês, alemão, italiano, sueco, finlandês, espanhol, holandês, norueguês e dinamarquês foram os outros idiomas contemplados. É também nesta altura que a Google ganha pela primeira vez um Webby Award (os chamados "Óscares da Internet"), na categoria "avanços técnicos".

Em Março de 2001, o serviço passa a estar disponível em 26 línguas (em Fevereiro do ano seguinte passariam a 72) e Eric Schmidt é nomeado presidente do conselho de administração da companhia - posição que ainda desempenha e cumula com a de diretor executivo.

Com o sucesso o número de serviços começa a alargar-se. Ainda em 2001 é lançado o Google Images, disponibilizando o acesso a cerca de 250 milhões de imagens online.

A estrutura também cresce, assim como o número de colaboradores, e em agosto desse mesmo ano é aberto o primeiro escritório fora dos EUA, em Tóquio. Atualmente a empresa tem mais de 70 escritórios dispersos por 40 países e Portugal também tem uma marca no mapa.

[caption]google no mundo[/caption]

Com o crescimento vem também uma postura mais "institucional", mas a Google soube crescer mantendo as características que deram origem ao império. O Google Labs é criado oficialmente em 2002, reservando um espaço destinado ao teste de novas tecnologias propostas pela equipada de investigação e dando azo à criatividade dos colaboradores, que podem reservar uma fatia do seu tempo para desenvolver ideias próprias.

Foi neste laboratório que se testaram muitos serviços que hoje fazem parte do portfólio e que foram lançados e mantidos em beta durante muito tempo, mas uma estratégia de simplificação e racionalização de recursos acabou por ditar a morte do projeto em 2011.

Durante vários anos os novos serviços vão aparecendo em catadupa: o Gmail é lançado em 2004, estando iniciaolmente disponível apenas por convite. No mesmo ano da sua primeira rede social, o Orkut que acabou por ser eclipsada pelo Facebook. Mais tarde, em 2011, a empresa voltou a tentar a entrada na web social com o Google +, que continua longe do sucesso desejado.

Em 2005 é a vez do serviço de mapas Google Maps, do Google Talk, destinado à troca de mensagens instantâneas, do iGoogle e do Google Earth.

Picasa, do Google Calendar, Books e News são os serviços que se seguem, mas uma das grandes mudanças viria de uma aquisição, com a compra do YouTube em 2006 por 1,65 milhões de dólares. Este tornou-se um dos serviços mais requisitados da empresa, contando com 800 milhões de utilizadores.

O alargamento ao mundo móvel é consubstanciado em 2007 com o Android, uma plataforma aberta para dispositivos móveis, desenvolvida com a Open Handset Alliance. A aposta está a mostrar-se um sucesso mas a Google não quis ficar só pelo software e avançou com a compra da Motorola, já em 2012.

Hoje a plataforma é usada por centenas de milhões de dispositivos, ultrapassando largamente o iOS da Apple, e no próximo mês vai ser lançada uma nova versão, o Kit Kat.

[caption]android[/caption]

Fevereiro de 2008 é a data de lançamento do Google Sites e em Abril é disponibilizada uma nova versão do Google Earth, integrando Street View. O polémico serviço fica pela primeira vez acessível na Europa com imagens de França, em Julho. Em Setembro é lançado o browser da companhia, o Chrome que continua a tentar destronar o Internet Explorer e o Firefox.

Nos últimos anos a Google transformou-se numa máquina de lançar serviços, gerando notícias diárias no TeK, mas nem tudo são sucessos. O encerramento do Google Labs e de alguns serviços com menor sucesso, como o iGoogle e o Jaiku.

O poder que assume na Internet, especialmente nas pesquisas e na publicidade online têm trazido dissabores e processos por parte das autoridades norte-americanas e europeias.

Com uma faturação de 50 mil milhões de dólares por ano e 45 mil funcionários na lista de pagamentos a Google é cada vez mais comparada com o "Império do Mal", sobretudo pelo domínio de áreas relevantes do negócio da Internet e pela ameaça à privacidade que resulta da quantidade de informação que vai recolhendo dos utilizadores nas muitas vertentes da sua vida digital: pesquisa, email, mapas e localização, utilização de dispositivos móveis, etc.

Será que o caminho da Google nos próximos 15 anos é deixar de ser uma empresa admirada para passar a ser vista como uma ameaça?

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.