O WhatsApp está a preparar uma melhoria à sua aplicação de mensagens instantâneas que promete dar a quem a usa um pouco mais de controlo em relação à sua privacidade. A funcionalidade impede que determinados contactos verifiquem a última vez que um utilizador estive ativo na aplicação.

Atualmente, através da secção de definições, os utilizadores podem decidir quem é que pode, ou não, ver os detalhes do seu perfil, incluindo a última vez que esteve online. Nesta secção, é possível tornar a informação visível para todos, ou apenas para os seus contactos, assim como torná-la “invisível”.

De acordo com o website WaBetaInfo, o WhatsApp vai adicionar um novo parâmetro na secção de privacidade. Através dele, os utilizadores poderão impedir contactos em específicos de verem qual foi a última vez que estiveram ativos. A novidade, que chegará às versões Android e iOS da aplicação, também se aplicará à fotografia de perfil e à biografia do utilizador.

WhatsApp | Novo parâmetro na secção de privacidade
créditos: WABetaInfo

Ao que tudo indica, a funcionalidade ainda está em desenvolvimento e, para já, não é claro se surgirá na próxima atualização à aplicação ou se será lançada muito mais tarde.

WhatsApp enfrenta multa de 225 milhões de euros na Irlanda por violar proteção de dados
WhatsApp enfrenta multa de 225 milhões de euros na Irlanda por violar proteção de dados
Ver artigo

Recorde-se que, ao longo dos últimos tempos, o WhatsApp tem vindo a enfrentar uma série de problemas relacionados com a privacidade dos seus utilizadores. Ainda no início de setembro, a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda (DPC) aplicou uma multa de 225 milhões de euros ao WhatsApp por infringir as leis da proteção de dados.

A investigação da DPC, que começou há três anos, examinou se a aplicação de mensagens, propriedade do Facebook, atuou com transparência quando informou os utilizadores e não utilizadores sobre o cumprimento das normas do RGDP.

A atualização das políticas de privacidade do WhatsApp também gerou uma onda de protestos, levando muitos utilizadores a procurarem outras aplicações de mensagens instantâneas, e, em julho, esteve na base de uma avalanche de queixas por organizações de defesa do consumidor.

A Organização Europeia do Consumidor (BEUC, na sigla em inglês) e oito dos seus membros apresentaram queixas à Comissão Europeia e à rede europeia de autoridades de defesa do consumidor, afirmando que o WhatsApp está a pressionar injustamente os utilizadores para aceitar suas novas políticas.

Anteriormente foram feitos vários avisos para o facto de ser necessário aceitar as mudanças para continuar a usar o serviço, em maio a empresa acabou por recuar e mudar a medida de cancelamento de acesso para "avisos" persistentes".

WhatsApp alvo de avalanche de críticas de consumidores devido a mudança de política de privacidade
WhatsApp alvo de avalanche de críticas de consumidores devido a mudança de política de privacidade
Ver artigo

Para as associações, "o WhatsApp não conseguiu explicar em linguagem simples e inteligível a natureza das mudanças". Consideram ainda que a ambiguidade  "equivale a uma violação da lei do consumidor da UE que obriga as empresas a usar termos de contrato e comunicações comerciais claros e transparentes", refere o mesmo documento.

Os grupos apelaram à rede europeia de autoridades do consumidor e às autoridades de proteção de dados da UE para que trabalhassem em conjunto para resolver as questões de privacidade e direitos dos consumidores.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.