Com o verão a aproximar-se, a vigilância dos incêndios florestais vai ser reforçada. A informação foi avançada esta segunda-feira pelo Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, que garantiu a aquisição de 12 drones com um raio de ação de 100 km. Os equipamentos estarão no terreno a partir do final de junho.

A garantia foi dada após a reunião do Conselho de Coordenação da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF), presidida pelo Primeiro Ministro António Costa, no Palácio da Ajuda, em Lisboa. Em declarações aos jornalistas, o Ministro explicou que as ações de vigilância serão reforçadas com seis equipas com dois drones cada.

"Esses 12 drones terão uma capacidade de voo entre seis e oito horas, tendo um raio de ação de 100 km a partir do ponto onde é comandado", garantiu João Pedro Matos Fernandes. Assim que estiverem no terreno "serão uma grande ferramenta para se fazer vigilância" e "poderão vir a ter um papel de grande relevância", considerou.

Quando questionado sobre as consequências da COVID-19 na forma como as forças de segurança poderão atuar no combate aos incêndios, Tiago Oliveira, presidente da AGIF, destacou a importância de se reduzir o número de incêndios nos dias mais críticos, mais do que nunca. "Se houver menos incêndios, menor a necessidade de se mobilizarem recursos", explicou. Perante a atual pandemia, Tiago Oliveira referiu que, no plano operacional, "terão de existir adaptações", adaptações essas que, no entanto, não devem prejudicar o combate.

Sete mil elementos no terreno prontos para o combate dos incêndios florestais

Na conferência de imprensa, o Ministro garantiu ainda que "não existe qualquer indicação de poder vir a haver uma redução de meios humanos para combate aos incêndios" em consequência da crise sanitária. Na verdade, vão estar no terreno sete mil elementos e que serão coordenados por uma única entidade responsável, a GNR. "Estamos a construir uma base para que toda esta vigilância seja feita de forma articulada, independentemente das diversas entidades", acrescentou.

Drones da DJI preparam-se para salvar vidas em várias situações. Incêndios incluídos
Drones da DJI preparam-se para salvar vidas em várias situações. Incêndios incluídos
Ver artigo

Ao longo dos últimos anos têm sido desenvolvidas várias soluções para ajudar no combate e na prevenção dos incêndios florestais. A Bee2FireDetection, por exemplo, usa tecnologia do Watson da IBM para ajudar a detetar incêndios. O projeto da empresa portuguesa Compta permite ainda calcular a probabilidade de incêndio, ainda antes deste ocorrer.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.