A rede 5G não estará a funcionar tão cedo em Portugal e as principais vantagens não se vão fazer sentir antes de 2021, mas a Huawei poderá, mesmo assim, lançar em Portugal a versão 5G do Mate 20 X, que já está à venda em alguns mercados na Europa.

"O telefone 5G vai estar em Portugal antes do lançamento comercial das redes", garantiu hoje Tiago Flores, responsável pela área de consumo da Huawei Portugal num encontro com jornalistas onde a empresa apresentou as vantagens da tecnologia e a criação de um centro de desenvolvimento em Lisboa.

Não há data para chegar às lojas, mas o Mate 20 X 5G é apontado como um smartphone que pode trazer vantagens para os consumidores. "É um smartphone premium, virado para o entretenimento, com grande capacidade de processamento e com suporte a 4G e 5G", afirmou o executivo que destacou que é o primeiro no mercado a poder usar o standalone 5G e não standalone.

Huawei pode lançar Mate 20 X 5G mesmo sem redes comerciais a funcionar em Portugal
Huawei pode lançar Mate 20 X 5G mesmo sem redes comerciais a funcionar em Portugal
Ver artigo

E para que serve um smartphone 5G se não há redes 5G? Questionado pelo SAPO TEK, Tiago Flores explica que não espera uma venda forte, mas que "é uma prova de inovação", que permite aos consumidores terem acesso à tecnologia mais recente, afirma.

Para já a comercialização do Mate 20 X 5G também "vai permitir aos parceiros fazer demonstrações com 5G usando estes telefones", justifica.

O smartphone já está à venda no Reino Unido, Espanha e Itália, mercado próximos onde já há redes 5G comerciais, e o SAPO TEK já teve oportunidade de ver uma demonstração em Madrid.

100 euros a mais que a versão 4G

Para Portugal não foi adiantado o preço, mas o Huawei Mate 20 X 5G custa em Espanha 1.049 euros, um valor  mais de 100 euros acima do que é cobrado pelo mesmo smartphone na versão 4G, que chegou às lojas há alguns meses por 899 euros.

Em entrevista ao SAPO TEK, Walter Ji, presidente do grupo de consumo da Huawei para o mercado da europa ocidental, explicou que esta diferença não reflete o custo do equipamento, mas que é uma aposta da empresa para estimular o mercado.

“Acreditamos que o preço não deve ser uma barreira para os consumidores beneficiarem da tecnologia 5G […] Ter atenção às margens de negócio, neste caso, é uma prioridade menor”, afirmou Walter Ji em resposta ao SAPO TEK.

Com um processador Balong 5000, este é o primeiro chipset 5G multi-modo da Huawei com o processador Kirin 980. O ecrã de 7,2 polegadas OLED coloca o equipamento na categoria dos phablets e define o tamanho total do smartphone, que pode ser usado com uma caneta, a M-Pen, que é vendida em separado. O ecrã frontal tem um orifício mais pequeno para a câmara como o P30, em vez de um notch de maior dimensão do Mate 20, para dar ainda mais espaço para aproveitar toda a dimensão das imagens.

Os módulos de fotografia são semelhantes ao Mate 20, como sistema triplo da Leica e a câmara de 40 MP RGP, acompanhada pela ultra Wide Angle de 20 MP e a telefoto de 8 MP.

Richard Yu, responsável pela unidade de negócio de consumo da Huawei, tinha admitido num encontro com jornalistas no MWC19, que o objetivo da Huawei é fazer chegar os smartphones 5G ao mercado a preços equiparados ao 4G.

O Huawei Mate 20 5G poderá ser acompanhado ainda este ano por mais três equipamentos 5G, sendo que um deles deverá ser uma versão do Mate 30, que a empresa poderá lançar em Outubro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.