O ruandês Mara Group quer transformar o país num pólo tecnológico. A empresa anunciou o lançamento de dois smartphones e conquistou assim o título de primeira fabricante móvel africana.

A Reuters sublinha que são assemblados telemóveis noutros países do continente, como o Egipto, a Argélia e a África do Sul, mas nenhum destes processos é feito exclusivamente com componentes africanos. Nos casos do Mara X e do Mara Z, isto não acontece, uma vez que todos os componentes são feitos no Ruanda.

Ambos os aparelhos são Android. O modelo X tem 16GB de armazenamento (130 dólares), ao passo que o Z chega aos 32GB (190 dólares). A primeira versão tem um display HD de 5.5 polegadas com 720 x 1.440 de resolução, um processador Mediatek MT6739, 1GB de RAM, câmara traseira de 13MP e câmara frontal de 5MP. Já o Mara Z tem um ecrã de 5.7 polegadas, exatamente com a mesma resolução. A RAM, neste caso, é de 3GB e o processador é um Qualcomm Snapdragon 435. Ambas as câmaras chegam aos 13MP.

O Mara Group assume que o preço fica ligeiramente acima de algumas versões concorrentes, como as da marca chinesa Tecno. No entanto, o presidente do Ruanda, Paul Kagame, espera que os consumidores estejam disponíveis para gastar mais alguns francos ruandeses pelo facto de os smartphones terem sido feitos no país.

A fábrica é um importante passo para o país, que há muito trabalha para se consolidar como líder do mercado tecnológico africano. Esta infraestrutura é parte de um projeto em curso que planeia erguer um pólo industrial com laboratórios, centros de formação, fábricas e escritórios para empresas que prometam produtos e processos inovadores.

Os novos Mara dificilmente chegarão a Portugal, mas certamente que são um marco para a história tecnológica do continente africano. Saiba mais sobre ambos os equipamentos através deste link.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.