A aposta no conceito que coloca no mesmo smartphones dois ecrãs está a ser bem sucedida e a Yota Devices quer continuar a aprofundar a ideia, preparando já o lançamento da nova versão para o final deste ano.

Maior interatividade entre o ecrã LCD e o EPD (Electronic Paper Display) e a possibilidade de introduzir dados no segundo ecrã são algumas das novidades, acompanhadas por uma melhoria das especificações de hardware

Depois de conseguir sucesso com o primeiro YotaPhone, que garantiu vendas de 12 a 15 mil unidades e provou o interesse dos utilizadores, a empresa russa está a trabalhar na componente de hardware com uma fabricante de Singapura, mas também no software, e anunciou ontem a disponibilização do Software Development Kit (SDK) que permitirá aos programadores tirarem partido do segundo ecrã nas aplicações Android.

Esta abertura pode conseguir um novo nível de personalização, e segundo Anton Tarasenko, director de desenvolvimento de software, está a gerar muito interesse na comunidade de desenvolvimento.

O responsável pela equipa de desenvolvimento localizada em Moscovo defende que a integração dos smartphones na vida dos utilizadores tem de ter uma maior componente de aproximação com a individualidade de cada um.

"As pessoas não estão interessadas nas especificações técnicas mas em ter a sua informação mais próxima, sempre acessível e com mais tempo de bateria", explicou ao TeK.

Mesmo assim na nova geração a Yota apostou num ecrã LCD de 5 polegadas, EPD de 4,7 polegadas, e processador quad core.

Na segunda geração o Yotaphone vai permitir desligar o ecrã LCD e usar só o ecrã com EPD, o que ajuda a poupar bateria. O ecrã facilita a leitura mesmo sob sol intenso e permite uma utilização em leitura até 15 horas. A Yota está também a trabalhar na possibilidade de o ecrã manter alguma informação selecionada mesmo se a bateria acabar.

O novo YotaPhone vai estar à venda no final do ano e estão a ser preparados descontos para quem quiser trocar o modelo de primeira geração pelo novo smartphone.

Embora o preço não esteja ainda definido Anton Tarasenko garantiu que terá um custo semelhante ao de outros smartphones Android com as mesmas especificações. "Não queremos que as pessoas tenham de pagar mais para ter um segundo ecrã", justificou.

Atualmente o YotaPhone está à venda a partir do site da empresa só para cinco países - onde não se inclui Portugal - e custa 499 euros.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.