A HTC revelou esta terça-feira o novo U11, um smartphone topo de gama que chega para suceder ao HTC 10 na linha da frente da oferta da marca.

E neste caso, apesar das especificações de ponta, a funcionalidade que fica na retina é aquela sobre a qual a empresa taiwanesa já tinha deixado pistas. É que este novo telefone espreme-se. E responde quando é espremido.

Esta nova característica, a que a HTC chamou "Edge Sense", permite accionar várias funções no smartphone. Ao apertar as bordas do equipamento, poderá abrir a câmara, ligar a lanterna, lançar a assistente virtual ou uma qualquer outra tarefa que conste do leque de opções disponibilizado pela marca. Neste caso pode até relacionar várias opções com a funcionalidade, tendo por base compressões mais curtas ou mais demoradas.

Para além disto, o HTC U11 traz também um procesador Snapdragon 835, tal como podemos encontrar no novo Samsung Galaxy S8, um ecrã QHD de 5,5 polegadas e um design que recorre ao metal e ao vidro para se afirmar. No geral, o equipamento é muito semalhante ao U Ultra lançado no início do ano, voltando também a integrar as bordas curvas que já constavam desse mesmo telefone.

De resto, o U11 integra 4GB de RAM, 64GB de armazenamento interno expansíveis por microSD, uma câmara traseira dual-pixel de 12MP com estabilizador ótico e focagem automática, leitor de impressões digitais, uma entrada USB-C, certificação IP 67 de resistência à água e à poeira e uma bateria de 3.000mAh. O que não marca presença neste aparelho é uma entrada para auriculares, mas como a empresa já tinha optado por a suprimir em equipamentos anteriores, é provável que a decisão tenha sido tomada de vez.

Em alguns mercados, no entanto, será também disponibilizada uma versão com 6GB de RAM e 128GB de armazenamento.

Na era das assistentes virtuais, a HTC também não quer desiludir os consumidores. Por isso, neste novo flagship, a empresa integrou não só o Google Assistant, como o seu Sense Companion e suporte para a Alexa, da Amazon. Neste último caso, e embora não seja o primeiro telefone a integrar a assistente da empresa norte-americana, o U11 é o primeiro smartphone a ter suporte para interações inteiramente em regime de mãos livres. Significa isto que, para acordar a Alexa, nem sequer precisará de segurar no telefone. Dizer o nome da assistente bastará para a deixar alerta.

O HTC U11 já está disponível em pré-venda em alguns mercados, com preços a começar nos 649 dólares, mas ainda não há indicações acerca da disponibilidade do equipamento em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.