O Japão foi o eleito para acolher a "cidade protótipo do futuro" que a Toyota está a planear construir e que já tem nome: Woven City. O anúncio foi feito pela empresa esta segunda-feira na edição deste ano da CES, que garante um "ecossistema totalmente interligado e alimentado por pilha de combustível a hidrogénio". A cerimónia de arranque da obra está prevista para o início de 2021.

Em comunicado, a empresa explica que a cidade, que irá situar-se num local com mais de 70 hectares na base do Monte Fuji, foi concebida como um "laboratório vivo" e, no futuro, irá servir de lar para os residentes e para os investigadores que poderão testar e desenvolver tecnologias como condução autónoma, robótica, mobilidade pessoal, casas inteligentes e inteligência artificial.

Acreditando que construir uma cidade completa do zero, mesmo em pequena escala, é uma oportunidade única de desenvolver tecnologias futuras, o Presidente da Toyota Motor Corporation, Akio Toyoda, fala na possibilidade de desenvolvimento de "um sistema operativo digital para a infraestrutura da cidade". Como explica o responsável, a Woven City irá contar com pessoas, prédios e veículos interligados através de comunicação de dados e sensores, pelo que se pretende testar a inteligência artificial (IA) interligada, tanto no mundo virtual como no físico.

Para isso, a empresa espera poder contar com “ajudantes”. A Toyota anunciou que fará um convite aberto a outros parceiros comerciais e a académicos para colaborarem com a empresa, convidando ainda cientistas e investigadores interessados a trabalhar nos seus próprios projetos nesta incubadora.

"Convidamos todos aqueles que querem melhorar a forma como iremos viver no futuro a aproveitarem para se juntarem a nós e a procurarem criar um estilo de vida e uma mobilidade cada vez melhor para todos", apelou o presidente da Toyota

Design da cidade: interligação, sustentabilidade e comunidade são palavras de ordem

O plano inclui a definição para as ruas, que não serão todas iguais. Algumas serão apenas destinadas a veículos com velocidades mais rápidas e outras mais reduzidas, onde os peões podem também "aventurar-se", e, por fim, uma rua para um passeio "promenade" apenas para peões. “Estes três tipos de ruas entrelaçam-se para formar um padrão de rede orgânico, de forma a ajudar a acelerar os testes autónomos”, explica a Toyota.

Como vai ser viver na “cidade do futuro”? Há uma proposta da Google em construção
Como vai ser viver na “cidade do futuro”? Há uma proposta da Google em construção
Ver artigo
A Toyota planeia “pintar” o ambiente de toda a cidade com vegetação nativa e hidropónica e os moradores irão deslocar-se nas principais vias em veículos totalmente autónomos e com zero emissões

A sustentabilidade é outro pilar da cidade protótipo, que deverá contar com edifícios construídos sobretudo através de madeira, para minimizar a pegada de carbono, usando marcenaria japonesa tradicional, combinada com métodos de produção robótica. Já os telhados serão cobertos por painéis fotovoltaicos, de forma a aproveitarem a energia solar, além da energia gerada por pilha de combustível a hidrogénio.

As habitações serão equipadas com as mais recentes tecnologias de apoio humano, como a robótica doméstica, para ajudar na vida diária. Neste sentido, as casas vão recorrer a IA baseada em sensores para verificar a saúde dos ocupantes, cuidar das suas necessidades básicas e melhorar a vida diária.

Os Toyota e-Palette autónomos serão usados para transporte e entregas, bem como para um comércio móvel mutável

As praças da cidade e a grande praceta central para recreio, bem como uma praça central para reuniões sociais, estão projetadas para reunir a comunidade, numa altura em que a empresa acredita que incentivar a ligação e a interação humana deverá ser um aspeto importante nesta experiência.

A Toyota planeia atrair para a Woven City colaboradores e as suas famílias, casais aposentados, comerciantes, cientistas visitantes e parceiros do setor. O plano inicial é ser habitado por 2000 pessoas e adicionar mais pessoas à medida que a cidade evolui.

Para o projeto Woven City, a Toyota contratou o arquiteto dinamarquês Bjarke Ingels, diretor executivo do Bjarke Ingels Group (BIG), e cuja equipa desenvolveu projetos conhecidos como o World Trade Center 2 em Nova York, a sede da Lego na Dinamarca e a nova sede do Google Mountain view e em Londres.

O SAPO TEK encontra-se em Las Vegas para conhecer os produtos apresentados pelas fabricantes, os quais poderá acompanhar aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.