Apesar da E3 e a Gamescom serem os maiores palcos de anúncios de videojogos, e outras novidades sobre a indústria dos videojogos, ao longo do ano são constantemente revelados novos títulos, que por vezes passam despercebidos. Alguns deles têm muito potencial, embora sejam ofuscados no meio de sequelas ou adaptações sonantes.

Para que não perca as mais recentes novidades, o SAPO TEK reuniu alguns dos títulos que foram anunciados recentemente e que deve ter atenção em segui-los, pois são bastante promissores.

Planet Zoo

Produzido pela Frontier, o estúdio de David Braben, criador de Elite Dangerous e Planet Coaster, Planet Zoo promete ser o mais detalhado simulador de jardim zoológico de um videojogo. Este título promete uma atenção especial na criação dos animais, foca-se em temas ecológicos e noções de preservação, ainda que enquadrado no conceito de parques de diversões temáticos. O jogo é o resultado de uma extensa investigação que o estúdio realizou a jardins zoológicos reais, levando os membros da equipa a entrevistar veterinários, tratadores, gestores e outras pessoas ligadas ao mercado dos zoos, para transformar o este título na experiência mais autêntica possível.

Os animais foram registados no seu habitat em diferentes jardins zoológicos, de forma a captar toda a essência da sua rotina, incluindo alimentação e reprodução, assim como comportamentos, enquanto vivem sozinhos ou em grupo. Os jogadores vão ter acesso a todas as ferramentas para criar os habitats ideais de forma a manter os animais bem tratados e felizes, com a preocupação no ambiente, a temperatura ou mesmo as atividades para os manter ativos.

A produtora pretende simular todo o ciclo económico dos parques, havendo inevitavelmente altos e baixos, como em qualquer empresa. Por exemplo, se um animal morre, a economia é afetada, pois o dinheiro relativo à atração deixará de entrar em caixa. E funcionará também ao nível emocional, por exemplo, afetando a moral dos tratadores e funcionários, mas também dos animais da família com que se relaciona.

Este exclusivo para PC ainda não tem data de lançamento revelado.

Borderlands 3

Há muito tempo que a Gearbox Software adia o anúncio de Borderlands 3, a sequela da sua mais popular série de ação. Trata-se de um “looter shooter co-op” com um aspeto cel shading, com um humor acutilante. A acompanhar o anúncio, o estúdio traz para a corrente geração de consolas a versão remasterizada da trilogia inicial com algumas melhorias na jogabilidade. No PC será gratuito para quem tiver os jogos anteriores, bastando fazer a atualização do Game of the year Edition. Quer dizer, jogo do ano em que foi lançado…

Tirando o trailer do novo jogo, praticamente nada foi referido sobre as novidades, mas como é esperado, mais e melhor daquilo que fez os primeiros jogos divertidos: personagens hilariantes, muita ação, loot para descobrir, e claro, o robot Claptrap!

Borderlands 3 será lançado no dia 13 de fevereiro no PC, PS4 e Xbox One.

Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2

Lembra-se de Vampire: The Masquerade Bloodlines? O RPG baseado no famoso jogo de tabuleiro, produzido pela Troika Games há 15 anos ganhou uma sequela. O jogo original tinha tantos bugs que a Troika não conseguiu dar conta do recado e acabou por fechar portas pouco tempo depois. Desamparado, mas com uma grande legião de fãs, foi a própria comunidade que foi melhorando o jogo e corrigindo os seus problemas, tornando-se um clássico de culto.

A sequela pertence agora à Paradox Interactive e está em produção pela Hardsuit Labs, e a nova aventura arranca logo após o final do anterior. O jogador assume o controlo de um novo vampiro transformado, que está confuso e prestes a ser executado por diversos clãs rivais de vampiros. O jogo é um RPG de ação, com um ambiente inspirado em Dishonored, e o jogador terá de aprender a lidar com as suas novas habilidades vampíricas.

Vampire: The Masquerade Bloodlines 2 apenas será lançado em 2020 e destina-se ao PC, PS4 e Xbox One.

Darkborn

Conhecido inicialmente como Project Wight, Darkborn é uma aventura de ação na primeira pessoa, com um twist delicioso: os jogadores controlam um monstro, e os inimigos são humanos, poderosos vikings caçadores. É uma espécie de Skyrim, mas ao contrário, em que a besta do jogador terá de fugir e escapar aos humanos. A personagem vê-se perseguida desde bebê, depois da sua família ter sido chacinada, sendo possível utilizar mecânicas de ação furtiva para escapar, mas quando cresce, este monstro torna-se num poderoso predador, com os seus poderes e habilidades desenvolvidas, sobretudo quando bebe o sangue dos inimigos.

O jogo apresenta uma atmosfera negra e sangrenta, lembrando bastante o tom cru e bárbaro de Hellblade: Senua’s Sacrifice, da Ninja Theory. Apesar do monstro ser o protagonista, isto não significa que a abordagem seja propriamente heroica. Para se defender, a criatura irá adotar ataques viscerais, rasgando os inimigos, decapitando-os e até é capaz de arrancar o seu coração ainda a palpitar.

Darkborn ainda não tem data final de lançamento, mas destina-se ao PC, PS4 e Xbox One.

Blacksad: Under the Skin

Inspirado pelas narrativas de detetives noir, dos anos 1950, o jogador assume o papel de um investigador privado, mas este é também um gato. Aliás, esta aventura introduz animais antropomórficos como personagens e inspira-se na reconhecida série de banda desenhada espanhola homóloga, criada por Juan Diaz Canales e Juanjo Guarnido.

A aventura segue John Blacksad, um detetive de Nova Iorque que tem de investigar o assassinato de Joe Dunn, o dono de um clube de boxer e o jovem talento dos ringues Bobby Yale está dado como desaparecido. Quando a filha do dono do ginásio assume a liderança, descobre que as finanças estão na “lona”, e contrata o protagonista para resolver estes mistérios criminosos em torno do seu pai.

Blacksad: Under the Skin chega às lojas em setembro, no PC, PS4, Xbox One e Nintendo Switch.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.