Na realidade virtual é tudo sobre experiências imersivas. Seja um filme ou um videojogo, a ideia é transportar o utilizador para uma realidade digital, mas que transmita a sensação de realismo. A qualidade gráfica e a taxa altíssima de atualização dos conteúdos ajudam nesta tarefa, assim como o próprio tema escolhido.

Mas há um elemento que também vai ter peso nas experiências de realidade virtual: o grau de interação do jogador com os conteúdos.

Jogar com um comando pode não ser a solução mais indicada, mas terá de servir nos primeiros tempos. Depois existem os controladores-stick, isto é, periféricos mais delgados e verticais - um pouco como os comandos da Wii - que usam sensores de movimento para recriar uma experiência diferente.

Têm surgido outras alternativas que apresentam-se como mais interativas e a Manus VR é uma dessas propostas:

Na prática são luvas que o utilizador tem nas mãos e que estão equipadas com tecnologias de posicionamento e movimento. O que fizer com as mãos na vida real será replicado pelas suas mãos digitais:

Um dos destaques desta proposta de hardware é o facto de suportar diferentes ecossistemas de desenvolvimento e motores de jogo: Steam, Android, Windows, Unreal Engine, Linux, Unity, OSVR e CryEngine são alguns dos nomes listados.

Por agora as Manus VR ainda só estão disponíveis como kit de desenvolvimento, custando aos interessados 250 dólares, o equivalente a 225 euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.