Como é que o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) respondeu ao desafio de conseguir juntar a comunidade de 400 pessoas de 40 nacionalidades nesta quadra? Este ano a solução da organização intergovernamental de investigação científica com sede em Braga foi um filme de Natal que lembra como a vida do INL "mudou da noite para o dia", mas com uma forte mensagem de união e esperança.

Inspirada no filme Sozinho em Casa, um clássico de Natal que se estreou há 30 anos, o departamento de comunicação fez nascer o INL Alone, em português Sozinho no INL. Como objetivo, o vídeo pretende também lembrar que apesar de separada fisicamente, a equipa esteve sempre unida.

Veja o filme de Natal do INL

O filme conta a história de um investigador que trabalha freneticamente para cumprir o prazo de um projeto e que cede ao cansaço, acabando por adormecer, exausto, à frente do teclado. Quando acorda depressa percebe que algo de muito estranho se passa e procura os seus colegas no laboratório, mas em vão.

INL Alone
Filme do INL traz mensagem de união e de esperança este Natal

O investigador pensa que todos os trabalhadores abandonaram o edifício e, para se animar, decide montar a árvore de Natal e ver um vídeo do ano passado, em que os colegas do INL desejam boas festas nas línguas dos países de origem. No final, quando uma "estranha luz o chama", descobre que nunca esteve sozinho.

Em comunicado, o diretor-geral do INL, Lars Montelius, garante que este vídeo "lembra como num ano difícil, que tinha tudo para não correr bem, acabou por se tornar num ano em que a produção científica foi uma das melhores de sempre". Esta foi, assim, a forma que o INL encontrou de desejar boas festas e de mostrar como a ciência é determinante para termos um 2021 com mais esperança.

Do combate à COVID-19 até à promoção de negócios: alguns dos projetos do INL em 2020

Num ano marcado por uma crise de saúde pública, o INL destacou-se por ajudar a fazer frente à pandemia de COVID-19. O organismo passou recentemente a liderar um projeto europeu de 6,1 milhões de euros que tem como objetivo apoiar a comercialização de novos produtos que combatam o coronavírus. A iniciativa, designada por INNO4COV-19, vai apoiar até 30 projetos que testem e validem aplicações em várias áreas, desde tecnologias médicas, sistemas de vigilância ambiental, sensores, proteção de trabalhadores de saúde, inteligência artificial e mineração de dados.

Em outubro, o INL foi também notícia por liderar um projeto que pretende criar uma rede de inovação aberta para acelerar oportunidades de negócio. O projeto já conta com a participação ativa de empresas como o Grupo Amorim, KPN, Saint Gobain, Procter & Gamble, Aptiv e EFACEC, e pretende atrair pequenas e médias empresas e startups europeias para responderem às chamadas que vão ser lançadas. A primeira call vai ser lançada em fevereiro de 2021.

Já no verão, em agosto, a Comissão Europeia decidiu apoiar dois projetos de investigação portugueses, um deles do INL. Ambos apostam nas áreas de tecnologias médicas, ferramentas digitais e inteligência artificial.

Inaugurado em Braga no ano de 2008, a infraestrutura resultou do memorando de entendimento que os ministérios da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal e o da Educação e Ciência de Espanha assinaram em 2005. Como objetivos, o INL pretende, para além dos trabalhos de investigação conjunta entre os dois países - através de várias oficinas, laboratórios, biblioteca, auditórios e um espaço para instalar visitantes de curta duração -, reunir os melhores investigadores mundiais na área da nanotecnologia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.