Novas formas de produzir e de viver as histórias. É desta forma que o MIT apresenta o Sensory Fiction, um equipamento que ajuda a sentir na pele algumas sensações descritas nos livros. O sistema tem por base um colete composto por vários sensores e mecanismos que têm a capacidade de reproduzir determinadas impressões.

Tremores, temperatura mais alta, descontração, sufoco e até ritmo cardíaco mais acelerado. Estas são algumas das sensações que o Sensory Fiction já consegue garantir. Um dos elementos em destaque é um sistema semelhante aos airbag dos carros que enche e esvazia, dando a respetiva sensação de aperto e de liberdade.

Para já o projeto só está a ser implementado num livro - The Girl Who Was Pluged In -, que é também ele "tecnológico" - traz dezenas de LEDs incorporados para simular os diferentes ambientes da narrativa. O livro também vibra dependendo das passagens do texto e emite sons.

O projeto é visto como uma mais valia pelo MIT - consegue juntar a experiência real à capacidade da imaginação humana. Ainda que para já possa não ter a capacidade de se tornar uma alternativa à leitura tradicional, porque é só um protótipo, o conceito pode ser explorado em livros específicos para mostrar as potencialidades da "leitura sensorial".


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.