O projeto é da Xerox PARC (Palo Alto Research Center) e foi mostrado recentemente numa conferência da DARPA - Defense Advanced Research Projects Agency nos Estados Unidos. É aliás um projeto desenvolvido com a agência. 

Engenheiros da fabricante têm trabalhado num processador capaz de se autodestruir em 10 segundos.

A peça é feita do mesmo material que hoje é usado na maioria dos ecrãs dos smartphones, Gorilla Glass. Para quebrar é sujeito a um choque de calor, desencadeado pelo apontar de uma luz (infravermelho ou outra) a um ponto específico da peça.

Esse contacto ativa um circuito específico do chip e provoca uma reação que se prolonga durante 10 segundos. Ou seja, mesmo depois da primeira quebra, o vidro continuará a estilhaçar-se durante 10 segundos.  

No evento Wait, What? um responsável da empresa explicou que o chip foi desenvolvido a pensar na proteção de dados sensíveis – para guardar chaves de encriptação, por exemplo.

Por enquanto é um protótipo mas as equipas já estão a trabalhar para tornar possível a integração do chip em dispositivos eletrónicos já disponíveis no mercado.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.