A equipa de astrónomos mediu a rotação de cinco buracos negros supermassivos através de uma combinação de dados do Chandra X-ray Observatory, um telescópio espacial da NASA, com lentes gravitacionais, e da utilização da gravidade de corpos celestes para ampliar objetos muito distantes, neste caso quasars.

Através de uma galáxia intermediária, os investigadores obtiveram imagens claras destes corpos celestes semelhantes a uma estrela e que constituem uma fonte de ondas hertzianas comparável à de uma galáxia.

tek buracos negros

Os resultados da investigação, submetidos online no início do ano, mostram que em alguns os casos a rotação dos buracos negros é extremamente rápida. Mas de que forma é que isto acontece? Os investigadores acreditam que estes buracos negros crescem a partir de acumulação de matéria na superfície de um astro e, a partir daí, ganham velocidade.

Na semana passada o Chandra X-ray Observatory partilhou no Twitter um vídeo onde explica em que consistiu esta investigação.

Recorde-se que mais recentemente, em abril deste ano, fez-se história ao ser divulgada a primeira fotografia de um buraco negro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.