Um homem de 78 anos, cego desde os 68, voltou a ver graças a uma córnea sintética, desenvolvida pela startup israelita, CorNeat. O implante foi criado para substituir córneas deformadas, feridas e opacas.

Depois da operação, o paciente conseguiu ler e reconhecer familiares logo depois da remoção dos curativos.

Poderá a realidade aumentada ser os “olhos” dos cegos?
Poderá a realidade aumentada ser os “olhos” dos cegos?
Ver artigo

"Os resultados do procedimento cirúrgico excederam as nossas expectativas. O momento em que removemos os pensos foi emocional e bastante importante [...] estamos orgulhosos por estar na linha da frente deste estimulante e significativo projeto que vai, sem dúvidas, impactar a vida de milhões de pessoas", disse o cirurgião e professor, Irit Bahar, responsável pelo departamento de oftalmologia do Rabin Medical Center, em Petah Tikva, Israel.

Gilad Litvin, inventor do implante e co-fundador da CorNeat Vision, afirmou que este é um momento surreal, especialmente depois de "vários anos de trabalho árduo".

Em 2020, a empresa conseguiu a aprovação necessária para prosseguir com os testes clínicos necessários à testagem deste implante. Os testes vão continuar com outros nove pacientes que padecem de cegueira ocular derivada de problemas na córnea. O objetivo é conseguir a certificação necessária à sua utilização médica na UE, nos EUA e na China.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.